quinta-feira, 17 de março de 2011

ENTENDA O SOFRIMENTO


O sofrimento é uma condição da mente humana, mas não da consciência em si.
Pensamento e consciência são duas coisas distintas, pois o primeiro precisa da consciência para sobreviver. Já a consciência é livre, é maior, é poderosa, pois é una com a Consciência Universal.


Quando sofremos, na verdade estamos ausentes de nós mesmos. Deixamos que o pensamento tome forma e ganhe espaço na nossa vida. 


Quem já não se deixou levar, até mesmo dominar por pensamentos destrutivos? Pois é, é ele o grande vilão nessa história.


A nossa mente é assim. Uma engrenagem desgovernada, incessante, barulhenta e muitas vezes aflita, o que faculta o sofrimento abrindo portas a partir dos nossos medos pré-existentes, de falsas crenças e de tudo aquilo que nela temos gravado desde sempre.


Para evitar o sofrimento é preciso parar. Sim, parar. Aquietar a nossa mente, mergulhar no silêncio e observar.


Pode até parecer estranho, mas para mim faz todo o sentido, e se acompanharem o meu raciocínio tenho a certeza de que irão também concordar comigo.


Nós erramos ao fugir do sofrimento porque não existe nenhum lugar para onde a gente possa ir e se esconder dele, já que ele está em nós. Melhor dizendo, é produzido por nós mesmos. É! O sofrimento é um produto da nossa mente.


Para nos libertarmos dele, o que temos a fazer é, como eu já disse, parar tudo. O Ser Humano tem o péssimo hábito de viver no, ou do passado, e de projetar a sua vida sempre no futuro. 


Ora bem, como diz Brian Weiss, o tempo não existe. Nem passado, nem futuro. Tudo o que temos é o momento presente, e isso é o AGORA.
Então, depois de estacionarmos no agora, é necessário observar o sofrimento. Tomar consciência dele. Admitir que ele existe, aceitar que ele está ali agora.


Ao fazer isso, tornamo-nos não mais ausentes de nós mesmos, mas sim conscientes do nosso eu verdadeiro. Isso enfraquece o sofrimento porque ele deixa de estar no comando da situação.


Ao observa-lo, é necessário não julgar. Apenas observar e perceber porquê que ele está ali. Ganhando essa consciência alcançamos um estágio de paz interior tão grande que como consequência anulamos a dor do sofrimento. Entendem? Isto é, ao perceber que o sofrimento não somos nós,e sim apenas um produto criado pela nossa mente desgovernada e mal programada.


Estando conscientes do Agora, descortina-se um mundo de felicidade que pode ser alcançado por qualquer um, bastando para isso entrar em comunhão com o Todo, a tal Consciência Universal onde tudo é perfeito, tudo é amor, alegria e paz.


A partir daí é da sua responsabilidade ser feliz e deixar de sofrer, de se martirizar, de se vitimizar, de se diminuir, etc.


Então, meus queridos, vamos viver o agora. Vamos viver cada momento. E se o agora implica sofrimento, vamos encara-lo de frente até entendermos que ele e nós não somos uma unidade, e que a nossa verdadeira natureza é de amor e de alegria, de esperança e fé.


Tudo se torna mais fácil quando nos cingimos ao agora, pois isso é tudo o que temos, em vez de remexer vezes sem fim no passado a fim de justificar o presente ou mesmo de pensar no futuro, que desta forma, continuará a trazer sofrimento na medida em que sempre mantemos traçada na nossa vida essa linha ilusória do tempo.


Lembre-se: o passado não existe. Não tem nenhum poder, a não ser aquele que lhe podemos dar. E o futuro, esse também não existe, já que o seu amanhã é o reflexo do seu hoje. Portanto, como diz também Brian Weiss, passado e futuro convergem para o presente. O presente é agora. É tudo que temos. É o Agora. É tudo que podemos controlar, mudar, alterar, observar. 
Agora! Este é o único tempo que existe.
Que tal ser feliz ... agora? Nesse exato momento?


Beijos de luz.

10 comentários:

** Calin ** disse...

Saudades imensas de você, minha flor!!

Mudei de face, te mandei o endereço novo. O blog também é novo - parcialmente.

Vim te deixar um beijo, coração, daqueles bem grandes e demorados!!

Maria José disse...

Angel. Belo post. Ser feliz depende basicamente de nós mesmos. Temos o libre arbítrio para escolhermos em ou ser feliz ou cultivar o sofrimento. A forma como reagimos às situações que a vida nos apresenta é que faz toda a diferença. Então, sejamos felizes a partir de agora, no nosso tempo presente. Beijos.

Rydi disse...

amiga, viva o hoje, já me arrependi de muitos erros qeu cometi no passado e isso as vezes me trazia lembranças amargas, mas eu mudei e quer saber? me arrepender de que? eu não me arrependo de nada, de uma forma ou de outra eu fui feliz com meus erros.

bjsss

Luma Rosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luma Rosa disse...

Angel, tudo o que li aqui vai de encontro ao que penso. Não devemos supervalorizar os "traumas", por exemplo! Assim como as coisas ruins que nos aconteceram. Se vamos remoer o passado, que sejam as coisas boas! Vamos viver o presente integralmente, pois só assim o futuro estará garantido! Beijus,

Angel disse...

Calin amigaaaaaaaaa, é você mesmo? :)
Que alegria te encontrar por aqui, eu também sinto saudades suas, dos nossos papos demorados, divertidos, profundos ... te amo, amiga.
Vou sim adicionar o seu novo perfil no face e visitar o seu blog agora que voltou ao ativo.
Beijo meu, na sua alma.
Angel.

Maria José, querida, é isso aí. Sei que você me entende. A gente fala a mesma língua :)
Beijos mil.
Angel.

Angel disse...

Ridy, amiga linda, tem razão. Dos nossos erros a gente pode tirar lições muito valiosas para a nossa vida, e no fim, isso é tudo o que importa.
Beijo enorme, cheio de carinho.
Angel.

Luma, Luminha, é por aí amiga. Nada de viver no passado e muito menos sofrer por coisas que já não existem, remoer mágoas, ressentimentos. Tudo isso faz um mal danado, inclusive para a pele hehehehe.
Beijo, beijo, querida.
Angel.

Valéria Russo disse...

ANGEL..
vc tem razão, teu post pode complementar o que eu escrevi ontem.
sim a felicidade, sofrimento escolher viver em alegria ou tristeza está em nós.
Deus nos deu livre arbitrio, nos criou para a felicidade, o amor e a fraternidade temos que aprender como exercitar esses dons divinos.
creio sim que o sofrimento faça parte de nossa existencia, ele é fundamental para que possamos crescer e reavaliar conceitos e atitudes.
naõ acho que se sofra mais ou menos do que o nosso merecimento...
estamos em constante evolução e a vida deve ser vivida em sua plenitude para que possamos evoluir como seres humanos.
viver preso ao passado ou aos lamentos do sofrer impedem que enxerguemos com clareza a felicidade que está ao nosso alcance basta nos abrirmos a ela.
lindo post.
obrigada por sua luz sempre presente no uivo.
tenha dias maravilhosos.
bjuivos no seu coração.
loba.

Angel disse...

Oi Val, é sempre um prazer te visitar, minha querida. Essa reciprocidade é maravilhosa porque a gente aprende, ensina, compartilha, evolui .. é uma riqueza inenarrável.
Beijo no seu coração.

RUTE disse...

Angel,
para mim sofrimento, sempre adquiriu a forma de sentimento de posse. E é aí que eu venho trabalhando estes anos todos.

Possuir é sofrer. Por isso sofremos tanto em separações. Não aceitamos a perda, quer de pessoas, quer de bens.

Felizmente que minha caminhada já vai longa e raras são as vezes que o sofrimento me pega. Como consegui? Através do desapego.

Para bens materiais não ligo a minima. Para pessoas entendo tudo como estar conectada de outra forma (menos fisica). Ou seja, perante a morte, perante o divorcio, perante o afastamento, é simplesmente um afastamento dos olhos, não do coração.

Aqueles que eu amo, estão sempre comigo e eu com eles. Não há necessidade de estarmos sempre grudados uns nos outros e de cobrarmos a presença das pessoas sempre ao nosso lado (invenjando aqueles que os têm).

Depois é confiar que assim seja do "outro lado" da relação, também.

Desta forma nos preparamos, e preparamos os outros, para o dia em que teremos de abandonar este plano. Especialmente para o dia em eu não estarei cá para minha princesinha.

Beijinhos,
Rute

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...