sábado, 29 de dezembro de 2012

RUMO A 2013

Boa noite, amores.

Estamos cada vez mais perto do Ano Novo. É 2013 chegando.

É altura de fazer escolhas, de deixar certas coisas para trás, de levar outras adiante 
De reavaliar situações, de concretizar sonhos, de abandonar velhas e inúteis crenças 
De soltar as amarras, de gritar bem alto para aliviar toda tensão, de resolver coisas pendentes
De perdoar quem nos magoou, de pedir perdão por nossos erros
De experimentar um novo sorriso, de recarregar as baterias da esperança, de fortalecer a FÉ
De acreditar que só o Amor é verdadeiro e a única salvação que existe
De reverenciar a Mãe Natureza, Mãe Terra, Gaia ou como quiserem chamar

É hora de abrir portas e janelas, e deixar entrar o frescor de um novo tempo
De colher flores perfumadas no jardim e espalhar velas pela casa
De arrumar o armário dos pensamentos e a gaveta das emoções 
De deixar tudo em ordem, tudo limpo
De abraçar, de dizer "eu te amo", de estender a mão a quem precisa

É tempo de recomeçar 
De abrir o coração 
De nos permitirmos novos voos
De ousarmos
De crescermos interiormente 

Chegou a hora de nos prepararmos emocionalmente
Para a chegada de um novo ciclo 
Celebrar o dom da vida
E o privilégio de fazermos parte deste exato momento.

Fiquem com Deus, e recebam todos um beijo meu.


sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

À FLOR DA PELE

Essa expressão define bem o meu estado psicológico ultimamente.

A sensibilidade transborda de dentro de mim, e vem como uma avalanche de sentimentos e emoções que, quem me dera poder compreender na totalidade.

Mas quem entende tudo? Todo mundo está nesse processo complexo de auto-conhecimento. Por isso, sempre digo a mim mesma: Relaxa. Respira fundo, que tudo se ajeita.

Se minto? Não, não minto. De fato, sempre tudo se ajeita. De um jeito ou de outro. A vida se encarrega dessa estranha magia. Tudo está certo do jeito que está.


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

SIMPATIAS DE ANO NOVO :) PORQUE NÃO?!

Olá meus amores :)

Passado o frenesim do Natal ( sim, tanta coisa, e já acabou ) todas as atenções se viram agora para o Ano Novo que, depressa se aproxima.

Quem não deseja que 2013 seja um ano cheio de alegrias, de coisas boas, muita sorte e concretizações? Acho que todos nós desejamos isso, e está certo. Devemos desejá-lo sim, para nós e para os outros também. A generosidade é uma premissa muito importante para o sucesso na vida de cada um.

Bem, mas hoje eu propus-me a vir aqui falar de simpatias. Todos já ouviram falar em simpatias, e existem tantas e mais algumas, para os mais diferentes fins. Hoje, porém, vamo-nos debruçar sobre as simpatias de Ano Novo.

Mas antes de continuar, deixem-me esclarecer que toda e qualquer simpatia está assente sobre uma crença popular. Outras vezes estão relacionadas com a cultura e a tradição de certos povos, que podem ou não, ser absorvidas e até modificadas, por outros.

Há quem diga que as simpatias não passam de superstição, e que tudo isso é uma grande bobagem e uma perda de tempo. Pois muito bem, eu não penso assim e vou explicar porquê: aquilo que faz com que qualquer simpatia realmente funcione, é a FÉ. E a FÉ está acima de qualquer coisa, pois é tão poderosa quanto inexplicável ou até mesmo totalmente compreensível para qualquer um de nós. Só posso dizer que a FÉ envolve um mecanismo tão complexo ao nível da nossa mente subconsciente que torna possível, o impossível.


Por exemplo, quando fazemos uma oração e acendemos uma vela com o intuito de que aquela chama eleve a nossa prece até ao céu, até à presença de Deus, obviamente que se trata de um ritual. E que tudo é simbólico. Com ou sem vela, sem chama, as nossas preces sempre são ouvidas, mesmo que nem sempre atendidas.

O que acontece ao realizarmos qualquer tipo de ritual, de simpatia, a nossa mente canaliza toda a nossa energia vital naquele desejo, conferindo-lhe poder, e é precisamente a Fé de que tudo já deu certo, que faz com que as coisas aconteçam no plano material. Basta acreditar.

Isso significa que, sem Fé, você pode fazer quintas simpatias, preces, rezas e mandingas quiser, que nada vai acontecer.

E agora, antes de vermos algumas simpatias de fim de ano, algumas delas já bastante conhecidas, uma dica: quando for fazer uma simpatia, mantenha isso em segredo. E segredo significa, segredo absoluto ;)

No mais, como eu sempre digo, "a simpatia feita para o bem e sem prejuízo a outrem, mal não tem". Portanto, queridos, fica o alerta para terem muito cuidado com os vossos desejos e mais ainda com os vossos atos. Lembrem-se da infalível e muitas vezes, implacável, Lei do Retorno.

Então, vamos lá. Vamos falar de simpatias de fim de ano para atrair o amor, saúde, dinheiro, paz e sorte.

ROUPA BRANCA NA VIRADA DO ANO

Em alguns países, como o Brasil, é muito comum as pessoas se vestirem de branco dos pés à cabeça, na noite da passagem do ano, pois a cor branca simboliza a paz e a felicidade.

DOURADO

O dourado é outra cor que faz sucesso no réveillon, seja só ou associado ao branco, porque traz alegria, prosperidade, sucesso e dinheiro.

VERMELHO E ROSA

Essas duas cores estão intimamente ligadas ao amor, então se o seu desejo é encontrar ou resgatar um velho amor, use alguma coisa vermelha. Pode ser a roupa em si, como um acessório notável, tipo uma bolsa, um colar, uns sapatos, ou ainda, a roupa íntima.

PARA ATRAIR O AMOR

Existe uma simpatia que diz para, à meia-noite, abraçarmos alguém do sexo oposto, mentalizandono desejo de encontrar o verdadeiro amor. Essa pessoa, pode ser um amigo, um irmão, primo, o pai, tio, qualquer pessoa do sexo oposto.

PARA ATRAIR DINHEIRO

Chupe 7 sementes de romã na noite de réveillon e depois embrulhe-as num papel, guardando o pacotinho dentro da sua carteira durante o ano inteiro. Isso garantirá que no lhe falte dinheiro durante todo o ano.

Ainda para atrair dinheiro, existe uma outra simpatia que sugere que se coloque uma folha de louro dentro da carteira, e que se mantenha ali durante todo o ano para atrair dinheiro.

E ainda outra, na noite de réveillon, coloque uma nota de 1 dólar americano ou então 1 euro dentro da carteira. Esse dinheiro deve permanecer na carteira e não deve ser usado para nada, de modo a que nunca falte dinheiro na sua carteira.

De acordo com o Feng Shui, uma boa "simpatia" para ter sempre dinheiro, é comprar uma linda carteira vermelha, exclusivamente para dinheiro, cartéis de débito, crédito, e talões de cheques.

OUTRAS CRENDICES/SIMPATIAS POPULARES

Na véspera do Ano Novo, faça uma super faxina na sua casa, varrendo de dentro para fora, limpando o pó, deitando fora objetos inúteis ou quebrados, doando tudo que já não lhe serve mais, tudo isso para deixar ir o velho, e atrair o novo para a sua vida.

Também na véspera do Ano Novo, você pode defumar a sua casa com carvão, xerém e açúcar. Isso vai atrar boa sorte e muita doçura para a sua vida.

Deixe as portas e janelas no último dia do ano para que o ar possa circular livremente. Feche duranteca noite, se tiver que ser, e faça o mesmo no primeiro dia do ano. Isso renovará as energias da sua casa.

E pronto! Até conheço mas algumas simpatias, mas de momento estas são as que me lembro. De qualquer forma, quem quiser saber mais sobre o assunto pode perguntar nos comentários queque respondo por aqui mesmo.

Então, meus amores, exercitem e fortaleçam a vossa Fé em Deus, Pai, e façam as vossas preces, vossas rezas, rituais e/ou simpatias com muito amor, e que tudo dê certo em 2013, para todos nós.

Beijos mil, com muito, muito amor no coração.ano

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

CURIOSIDADES SOBRE O NATAL

Hoje é dia 25 de Dezembro, Dia de Natal, uma data celebrada um pouco por todo o mundo, cheia de significado e magia, em que família e amigos se reúnem, trocam presentes, comem, bebem e riem alegremente. O Natal tem sido para todos nós, mesmo para os não cristãos, um momento de união.

Em quase todos os países, vêm-se as ruas das cidades decoradas com motivos natalinos e de uma forma ou de outra, isso influencia as pessoas, tocando-as no seu íntimo, como se fosse uma força invisível atuando a nível do subconsciente, lembrando a todos que é tempo de nos amarmos uns aos outros como Jesus nos amou.

Na verdade, o dia 25 de Dezembro, é, de acordo com a Bíblia, a data do nascimento de Jesus Cristo. Portanto, é uma comemoração religiosa, mas não só, pois é sobretudo uma festa que marca a solidariedade universal, celebrada um pouco por todo o mundo, inclusive nos países onde a população cristã é a minoria.

No entanto, historicamente não se tem certeza da data exata do nascimento de Jesus, tanto que no passado longínquo, tal acontecimento já foi comemorado em diferentes datas. Foi a partir do século IV que 25 de Dezembro foi declarada a data oficial da celebração do Natal pelos romanos.

O Natal, assim, é uma celebração tão linda, pois inspira o cultivo do amor ao próximo e todos os bons sentimentos que durante o ano inteiro, muitas vezes, são esquecidos. Ele vem carregado de símbolos originários da tradição cristã, de países evangelizados, de santos, bem como elementos que hoje em dia são indispensáveis nas festas de Natal, e que iluminam e decoram ruas, vitrines, lojas e casas, tais como o Pai Natal, a vela,a estrela, as bolas, o pinheiro, os sinos, a troca de presentes, a montagem do presépio e alguns outros.

Mas, de onde surgiu o Pai Natal? Quem é essa figura tão importante nesta quadra festiva?

O Pai Natal, de acordo com estudiosos, foi inspirado por um bispo chamado Nicolau e que era um homem muito bondoso, muito generoso, que mais tarde, graças aos seus feitos e aos milagres a ele atribuídos foi proclamado Santo pela Igreja Católica : Santa Claus.

A sua fama de bom velhinho cresceu tanto e de tal maneira, especialmente entre as crianças, que hoje em dia é impossível imaginar uma festa de Natal sem a presença do homem simpático, barrigudinho e de barbas brancas, vestido de vermelho.

Sobre a árvore de Natal, talvez nem todos saibam, mas existe um dia específico em que se deve montá-la, o dia 06 de Dezembro, que é dia de São Nicolau (ou Santa Claus) e outro em que deve desmontá-la, ou seja, no dia 06 de Janeiro, Dia de Reis. A forma de a decorar, no entanto, fica ao critério de cada um. Verdes ou brancas, decoradas de vermelho e dourado, branco e prata, azul e branco, roxo e lilás, tudo isso depende apenas da imaginação e gosto de cada família. Ou seja, não existe uma regra na hora de montar a árvore de Natal e de a decorar.

O presépio representa o momento do nascimento do menino Jesus na manjedoura, ao lado de José e Maria, dos três Reis Magos e dos animais, retratando fielmente o ambiente e o momento do seu nascimento.

Vamos agora debruçarmo-nos de leve sobre as tradições natalinas de outros povos, e quem sabe, surpreender-se-ão, tanto quanto eu mesma, ao descobrir a respeito.

Vamos lá, e comecemos com a Rússia. Vocês sabiam que na Rússia o Natal é comemorado no dia 7 de Janeiro, 13 dias depois do Natal Ocidental?
E que durante o regime comunista, as árvores de Natal foram totalmente banidas desse país e substituídas por árvores de ano novo?
Ainda de acordo com as tradições desse país, a ceia de Natal deve conter muito mel, grãos e frutas, mas nenhuma carne.

No Japão, apenas um pequena minoria da população é cristã, mas mesmo assim o Natal ganhou força graças à influência americana, depois da segunda guerra mundial. Os japoneses foram receptivos a algumas tradições, como a ceia de Natal, o pinheiro e a troca de presentes de Natal.

Na Austrália, o Natal lembra as raízes britânicas do país. Assim como na Inglaterra, e ceia de Natal inclui tradicionalmente perú, e os presentes de Natal são dados na manhã do dia 25.

Já em Portugal, e suas ex-colônias, como Angola e Brasil, é muito comum que as festividades de Natal incluam uma ceia farta onde o bacalhau é praticamente obrigatório, tanto como as rabanadas, os sonhos, as filhoses, o folar, o leitão à bairrada, o perú recheado, o lombo assado no forno, fora as frutas secas como nozes, amêndoas, castanhas, avelãs, uva passa, tâmaras, entre outras. Nesses países, a troca de presentes também é uma tradição, e quando isso não inclui a família inteira, as crianças costumam ter os seus brinquedos garantidos.

E assim, depois de falar um pouco sobre o Natal, sua origem, suas tradições ao redor do mundo, despeço-me de vocês por hoje, desejando que todos tenham uma linda noite de Natal, com muito amor, muita alegria, muita paz no coração.

Não importa se a sua casa está cheia de gente, e não cabem as pessoas à mesa de tanta família e amigos, ou se o seu Natal é passado ao lado de duas ou três pessoas. Eu aprendi que a qualidade é muito mais importante que a quantidade, e que o que importa é o amor que une as pessoas, o sentimento verdadeiro e a boa vontade. Assim como também aprendi, que os melhores presentes são aqueles que não se podem comprar ;)

Feliz Natal, meus amores.





























 
 

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

VEM VINDO ... 2013!

Oi gente linda que passeia por aqui :)

E assim, uma vez mais vai chegando o Natal, e logo depois dele, o Ano Novo. É 2012 se despedindo, com todos os seus grandes e inesquecíveis momentos, outros nem tanto, coroado de alegrias, sorrisos
meigos, sonoras gargalhadas, algumas lágrimas, emoção e tudo mais que faz parte da vida e que se mistura nesse fumegante caldeirão.

É hora de fazer o famoso balanço de fim de ano. Aquele que, conscientemente ou não, quase todos nós fazemos quando o calendário anual vai chegando ao fim.

Engraçado que existem um monte de coisas em que a gente não pensa durante o ano inteiro, mas que ganham súbita importância nesta últimos dias que nos separam de um Novo Ano.

Que fenômeno é este que nos faz refletir, ponderar, reconsiderar, perdoar, pedir perdão, buscar a paz interior, e que também nos torna mais generosos, mas conscientes da realidade a nossa volta, da pobreza em que vivem grande parte das pessoas no mundo, ao ponto de nos sentirmos impelidos, ou ainda mais, a fazer algo para ajudar?!

Seja como for, que bom seria se o Espírito Natalino durasse mais do que uma quadra festiva. Que bom seria. E que diferente seria o mundo ...

Sobre este assunto, voltarei outro dia para discorrer sobre as minhas próprias reflexões de final de ano, e quem sabe, conhecer as vossas?!

Digamos que este post, hoje, foi apenas um prefácio. Be ready, ok? ;)

Amores, um grande beijo no corações de todos vocês e não se esqueçam de já irem zerando tudo, fazendo aquela faxina mais do que necessária para que apenas levemos para 2013, o que valer a pena levar ;)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

DEEP ... DEEP IN MY FAIRIE HEART


No fundo, no fundo
Da minha alma mística
Lugar para ódio e rancor
não existe

Simplesmente, tento lembrar de quem você é
Mas tendo em conta que nem mesmo sei o que você foi
Fica difícil te colocar num lugarzinho só seu ...
Sabe aquele espaço que a gente sempre guarda no coração para pessoas especiais?

Pois é. Eu não sei se guardo ainda esse espaço para você
Ou qualquer outro
Porque entre tantos momentos de alegria
A maioria foi coberta pelo manto da instabilidade, da tensão, da mentira
Da falta de sintonia
Das músicas diferentes que gostávamos de escutar ... e de cantarolar
Da linguagem diferente que nossas bocas proferiam
Do jeito desigual de vivenciarmos o que poderia ter sido único
E perfeito

Para dizer a verdade
Não raras vezes quando me recordo de você
E de todas as suas atitudes, ou a falta das mesmas, para comigo
Eu me pergunto onde fui buscar tanta paciência
E percebo que tolerância é uma coisa muito diferente

Percebo hoje que doei demais
E aprendi, finalmente, que tudo tem um limite
Até mesmo lutar pelo que se quer
Aliás, aprendi que o que tem que ser
Caminha expontaneamente na nossa direção
Basta deixar o canal mágico aberto

Aprendi também
Que em determinadas circunstâncias
Temos mesmo que chutar o balde
Gritar, rasgar a roupa e até um pouco da alma
Enlouquecer de tanta raiva, deixar extravasar todas as emoções
E lamento por não ter feito todas as vezes quantas gostaria

Talvez, se eu o tivesse feito
Hoje eu poderia olhar para você com um mínimo de respeito
Porém, somente a piedade involuntária e um certo desprezo
Talvez não tão involuntário assim
Se apossam de mim

E de repente
Não quero mais receber notícias suas
Não quero que me ligue
Que me envie um email
Que atravesse a estrada da vida para me cumprimentar

Você é alguém
Cuja visão me faz mal
Você ...
Sua aura ... me faz mal

Quero apenas que vá em paz
Siga sua vida
Me deixe em paz
Me deixe esquecer o tanto que errei

Mas principalmente
Me deixe dizer pela primeira vez
Que te acho fraco, egoísta, individualista
Que você não gosta de ninguém, além de si mesmo
Que sua natureza aparentemente amigável
É apenas um personagem que você criou
Para que você pudesse conviver mais facilmente com você mesmo
... Não sei se já reparou ... mas nem você se suporta.
Não cabe em si
Não é feliz
Não tem rumo
É alguém, sinceramente, digno de pena.

E só.

p.s. imagem da internet

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

ANIVERSÁRIO,NATAL,REVEILLON=DEPRESSÃO???



O post de hoje foi-me inspirado por uma amiga, a L, que completou mais uma risonha primavera ontem, e, como já aconteceu com a maioria de nós, sentiu-se deprimida.

Estava emotiva, sensível, até chorou ali com a gente (nosso grupinho). No caso dela é fácil perceber a causa desse momento de fragilidade, pois trata-se de uma garota que acabou de se mudar para outra cidade, outro estado, sem os pais, família e amigos da vida toda. Por mais adulta que a pessoa seja, por mais forte e consciente de estar a fazer a coisa certa, nada disso impede que ela se sinta assim de vez em quando, em especial no dia do seu aniversário.

Mas porquê que o dia do aniversário mexe tanto com o psicológico das pessoas? Ou ainda, o Natal? O Reveillon?

Como podemos ver, todas essas datas marcam grandes momemtos. Um aniversário é uma data de celebração da própria vida. Só que, quando esse dia chega, inúmeras pessoas sentem a alegria ir embora e a tristeza entrar pela janela. São invadidas por uma insegurança, que é muitas vezes irracional, medo do futuro que se aproxima, medo de envelhecer, medo de estar a ficar cada vez mais velho, assumindo maiores responsabilidades e preocupando-se em falhar, em não ser bom o bastante ... aí todas as frustrações vêm a tona, todas as más lembranças, todas as más memórias ... de repente, a pessoa apenas consegue enxergar coisas negativas na sua vida, como se não houvesse nada mais além disso.

Surgem mil e um questionamentos, fazendo quase sempre com que a pessoa se diminua, se desvalorize,  culpando-se por erros cometidos, ou não.

Mas afinal, porquê que isso acontece? O que faz desencadear todos esses sentimentos ao mesmo tempo numa data específica? Não tenho nenhuma resposta exata ou científica para vos dar, mas acredito que inconscientemente o cérebro dessas pessoas ativa o "botãozinho" depressão ( ou ansiedade, angústia, irritabilidade ) que por sua vez dá vazão a um monte de coisas acumuladas, preocupações e medos muitas vezes descabidos, outras nem tanto, e aí, não tem jeito. O "aniversariante" começa em pensar que gostaria de estar não sei aonde, nem com quem, ou que mais um ano se passou e a sua vida ainda não é a que tanto almeja, começa a deixar-se levar por essa onda negativa que só serve para atrapalhar.

Natal, é a mesma coisa. São datas que apelam à nossa sensibilidade e daí até o subconsciente enviar um comando errado (ficar triste) é num abrir e fechar de olhos. Muitos se lembram, no Natal, dos entes queridos que já se foram e é impossível não notar a sua ausência, sentir a sua falta e assim, é natural não encarar o Natal com a mesma alegria e disposição que "o vizinho do lado". Conheço pessoas que detestam o Natal. Tudo que querem é que dia 25 passe logo, simplesmente porque não querem mais ser forçados a lembrar de coisas que lhes trazem tristeza, dor, agonia, pesar.

Já a proximidade do fim de cada ano, costuma deixar algumas pessoas ansiosas. Há quem pense que "o ano acabou e minha vida não mudou", "mais um ano acabou e continuo solteira e sem filhos", "mais uma ano acabou e ainda não tenho nada que seja meu", etc, e isso traz a frustração, a falta de vontade, de comemorar com os outros a chegada de um novo ano.

O que posso dizer mais? Não sou psicóloga, nem nada, mas conheço um pouco da vida. Das duas uma, ou você enfrenta todos os seus fantasmas e supera, indo celebrar a vida ... vejam bem, o seu aniversário é nada mais, nada menos, do que uma celebração à própria vida. E a vida é um dom. Merece ser vivida em paz e com alegria.

Natal e Reveillon, a mesma coisa.

No mais, acrescento que qualquer um desses momentos especiais são ótimos para recomeçar. E é aí que você pode usar toda a negatividade que está sentindo, a seu favor. Como? Encare-a de frente, enfrente-se, diga a si mesmo que você tem o controle da sua vida, estabeleça novas metas, prazos ... o importante é não desistir de si mesmo, pois o dia seguinte sempre chega e depende de você que por mais um ano as coisas continuem do mesmo jeito, ou que mudem para melhor. Tempo de reflexão ...

E assim vos deixo hoje, com muitos beijooooooossss no coração.


P.S. imagem retirada da internet

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

POTENCIALIZE A SUA ORAÇÃO AGORA



Olá amigos deste blog, como vão vocês?

Estava aqui a pensar no que escrever (na verdade não pensei muito) e decidi trazer o seguinte tema: Oração.

O que seria, então, uma oração?

"Oração é um ato religioso que visa ativar uma ligação, uma conversa, um pedido, um agradecimento, uma manifestação de reconhecimento ou ainda um ato de louvor diante de um ser transcendente ou divino. Segundo os diferentes credos religiosos, a oração pode ser individual ou comunitária e ser feita em público ou em particular, e pode envolver o uso de palavras ou música". (Wikipédia)

Essa definição deixa claro que existem vários tipos de oração, consoante cada religião, cada crença, podendo ser dirigida à mais de um Deus, outras formas de divindade, espíritos, expressões da natureza, tendo muitas formas de o fazer. Há quem reze de joelhos, falando baixinho. Outros rezam em pensamento, a qualquer hora do dia. Há ainda quem cante, louvando ao Senhor, como também há quem medite para se conectar com Deus.

Uma coisa que me incomoda é que certas pessoas, mentes fechadas, acreditam realmente que a oração e o exercício da fé, só têm valor se estiverem de acordo com a religião que professam. Acho que isso é tão absurdo quanto tolo, pois é muita presunção considerar que só uma religião (ou coisa que o valha) é dona da verdade. Quanta loucura, não?

Do mesmo modo, penso que todas as pessoas que, literalmente, não frequentam Igreja alguma, mas que oram, têm fé e são crentes em Deus, possuem as mesmas chances de serem "ouvidas" e de terem as suas preces atendidas.

Isso porque o que importa numa oração é a fé e a intenção, não se a pessoa é cristã, protestante, judaica ou muçulmana. Na verdade, não importa se a pessoa tem uma religião, pois eu defendo que Deus se encontra em todas as religiões e em nenhuma, ao mesmo tempo. Deus é muito maior que um punhado de livros, de dogmas, de "leis" ou regras. Deus é Tudo, e é o Todo. É imensurável. É inenarrável. É transcendental, de tal forma que é impossível limitá-LO àquilo que determinados grupos de pessoas fazem.

A Oração, para mim, é uma forma de ativar, como já referiu a definição da Wikipedia, um modo de comunicação, um canal entre mim e Deus. A oração me acalma, traz paz à minha vida, atrai energias positivas,  faz com que eu fortaleça a minha fé, um pouco todos os dias, me ensina a confiar, a ser paciente.

Mas como isso acontece? De que forma a oração interfere nas nossas vidas?

Ora bem, na minha humilde opinião, a Oração bem sucedida é aquela que está em plena sintonia com a nossa mente consciente. Oração é poder? Sim, mas só porque o pensamento tem poder.

Se somos o que pensamos, isso significa que devemos estar atentos àquilo em que acreditamos, à forma como nos sentimos e como expressamos tudo isso no mundo exterior, inclusive através da oração.

Muitas pessoas PENSAM e dizem:" Deus não atende às minhas súplicas"; "Sou um pobre coitado"; "Nunca serei ninguém"; "Sou uma pessoa fraca" ... e uma infinidade de outras que não caberiam aqui.

Da mesma forma, tais pessoas, normalmente, oram à Deus nos seguintes termos: "Meu Deus, eu estou tão cansado de ser traído, de não ter dinheiro para comprar o que necessito. Oh , meu Deus eu não sou bem quisto, só tenho azar em tudo que faço na minha vida. Porquê, meu Deus? Porquê? "

Bem, esse modelo de oração está totalmente equivocado, e por isso mesmo, provavelmente, não surte nenhum efeito. Vejamos a mesma oração feita de uma maneira um pouco diferente.

"Meu Deus, oro a Ti, Senhor, para que Tu sejas Provedor na minha vida. Que me dês tudo quanto necessito para viver feliz ao lado da minha família. Graças te dou pois sou abençoado, coisas maravilhosas estão no processo de se materializarem na minha vida, exatamente como eu desejo, em nome de Jesus Cristo. Amém".

Essa pequena diferença é a chave da questão. Se nos sentimos derrotados e oramos como derrotados, continuaremos a ser derrotados. Porque nós somos aquilo que pensamos que somos, aquilo que infiltramos na nossa mente diariamente. Portanto, para que a oração seja bem sucedida, é preciso sintonizar a nossa mente com a Energia Criadora (Deus, Alá, Buda, Shiva, a Grande Mãe, a Lua ou qualquer que seja a nossa crença).

A oração é uma ferramenta útil, indispensável e realmente maravilhosa. Mas ela não serve de nada se não for utilizada da maneira certa.

E agora, uma pergunta que alguns ainda fariam: Deus escolhe as preces que deve ou não atender?

Claro que não. Deus não deixaria de atender a ninguém propositadamente. Na verdade, nós mesmos determinamos como e quando, e se, teremos as nossas preces atendidas, porque tudo na vida é causa e efeito.
E tudo é perfeito, segundo as leis de Deus.

Então, a proposta hoje vai para que tomemos consciência de quem somos e de quem queremos ser. E que façamos uso dessa "coisa" maravilhosa, chamada oração, que Deus, em sua imensa glória, colocou ao nosso dispor para com ele nos comunicarmos, à Ele agradecermos, exaltarmos, louvarmos e pedirmos graças.

Fiquem todos com Deus, seja qual for a vossa religião, e boas orações ;)

P.S. Imagem da internet

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

AMIZADE VIRTUAL

imagem retirada da internet


Eis aqui algo que, nem tanto tempo assim atrás, era impensável.

Como assim, manter uma amizade virtual? Como assim, gostar de alguém, se identificar com esse alguém, sentir falta desse alguém, que só conhecemos virtualmente? Fazer confidências, dividir sonhos, alegrias e tristezas, tudo isso, com alguém que na verdade nunca vimos, nunca ouvimos, nunca tocamos, nem nunca sentimos o cheiro?

É. Tempos atrás pareceria mesmo descabido. Seria algo como os amigos imaginários das crianças.

Mas não nos tempos de hoje, em que a internet propiciou ao mundo tantas ferramentas de comunicação, tantos meios, tantas formas de se conhecer gente, trocar ideias e fazer amizades.

Temos as redes sociais, sendo o Facebook a mais famosa de todas e também a que possui mais adeptos, arrisco em dizer, como também sites de todo tipo de relacionamento, fóruns de discussão em que as pessoas interagem em torno de um mesmo assunto, opinando, colocando dúvidas, e desenvolvendo relações e reconhecendo afinidades.

Mas, será que uma amizade virtual pode se considerar de fato, uma amizade de verdade? O que vocês acham? Eu diria que ... depende, porque, um amigo é uma pessoa que nos entende, nos aconselha, não nos julga, nos incentiva, nos dá parabéns no dia do aniversário, nos diz que gosta da gente ... um amigo, é aquele que está presente mesmo quando está longe, é alguém com quem a gente sempre pode contar, é quem nos levanta quando a gente cai, é quem demonstra lealdade e dá provas de merecer a nossa confiança. Um amigo é aquela pessoa que a gente pode realmente chamar de amigo.

Pois bem, sendo assim, será que uma amizade virtual pode ser considerada uma amizade verdadeira? Na minha modesta opinião, eu acho que pode sim. Lógico que um amigo virtual é alguém que sempre estará perto do coração, mas não poderá te dar aquele abraço. Sem contar que um amigo virtual tem a vida facilitada pois não precisa de provar fidelidade, pois a sua amizade é apenas entre vocês os dois, não envolve mais ninguém, nem os conflitos que advêm daí, dado que toda pessoa tem a sua personalidade e muitas vezes elas não são compatíveis.

A verdade é que sabe bem ter um amigo de verdade, um amigo presente de carne e osso, alguém com quem rir, chorar e rolar pelo chão, tomar uns drinks e sair a cantar rua abaixo.

Só nem sempre as coisas são desse jeito. Quantas vezes não nos decepcionamos com quem julgávamos amigos? Quantas vezes os amigos falham, nos desapontam, nos traem? É. Isso também acontece. E é triste. Dói demais, não é?

Mas será que isso quer dizer que, portanto, devemos acabar com os amigos reais e ficar apenas com os virtuais, já que esses dificilmente nos decepcionarão? Ou será que devemos ser realistas e perceber que os amigos virtuais não são amigos coisa nenhuma, são pessoas do outro lado da tela, a quem a gente só conta o que quer, só mostra o que interessa e vice-versa, mas ninguém garante que aquela pessoa seja tudo quanto aparenta?

Será que as relações humanas, futuramente, irão se restringir à isto? Relações virtuais, superficiais e emocionalmente seguras? Será? Bem, isso é tópico para outro post ... aliás, o mundo virtual tem muito mais que se lhe diga, por isso, por agora, fiquemo-nos por aqui.

Conclusão: Eu penso, sinceramente, que tudo é válido quando é sincero. E pode existir sinceridade, carinho, respeito, sim, numa amizade virtual. As vezes, é até mais fácil desabafar com esses amigos por trás da telinha do computador do que com aquele que foi seu colega de escola desde a infância. Então, não dramatizemos. Com maturidade e bom senso, todos podemos fazer essa equação e manter bonitas amizades virtuais por anos a fio.

Eu posso me citar como exemplo. Tenho alguns amigos virtuais, mas a mais antiga de todas, de muito anos, tantos que já nem sei quantos é a Ca ... querida, se você estiver lendo, saiba que te amo por tudo que você foi e tem sido para mim todo este tempo. A Ca, gente, é alguém que eu conheci numa dessas redes sociais e de cara a gente teve aquela afinidade, tanto que o nosso contato não ficou por aquela rede social. Não. Expandiu-se para outras rsrsrs e hoje em dia, nos falamos até por telefone. E tem mais. Sei que nós duas ainda nos vamos conhecer pessoalmente. Não sei como, nem quando, mas já esteve mais longe de acontecer, né Ca? E aí entram os casos em que amizades virtuais se transformam em amizades da vida real, sujeitas a todo tipo de intempéries que a própria vida propicia.

No entanto, e para finalizar este post, uma coisa eu sei. Sei que amor e carinho é sempre muito bom, e não importa a forma como isso nos chega. Digo o mesmo quanto a forma como isso sai de dentro de nós para a outra pessoa. Amor, amizade, todo sentimento é energia, e energia a gente não vê. A gente sente, venha de onde vier, como vier.

Beijos para todos os meus amigos, tanto da vida real como os virtuais, e isso inclui você :)



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

SIGNIFICADOS DAS CORES NO FENG SHUI

imagem retirada da internet




Oiiii gentxiiiii :)

Boa madrugada, para quem, como eu, está acordado, viu?

E para os demais, bom dia, boa tarde, boa noite, conforme for para vocês quando lerem este post.

Hoje estou super animada, passei um dia muito divertido, dei altas risadas, tudo isso na companhia de uma nova amiga, a Ju. Uma querida ela, de verdade.

Bem, vamos lá. Eu disse no post anterior que iríamos falar sobre cores, certo? Pois então, como o prometido é devido, vamos direto ao assunto, sem mais delongas.

Amarelo - Representa poder e riqueza, porque lembra o ouro. Deve ser usada em escritórios, lojas ou outros estabelecimentos comerciais.
É uma cor igualmente associada à comunicação, excelente para estimular a alegria e a expontaneidade. Pode ser usada na parede principal da sala de estar, por ser uma cor estimulante, ou então nos detalhes da decoração.

Azul - Esta cor transmite muita tranquilidade, harmonia e sensação de paz, sendo que o azul escuro simboliza a sabedoria, o poder da intuição e o subconsciente. Já o azul claro está muito ligado à espiritualidade.

Verde - O verde é uma cor que traz consigo a esperança, fazendo florescer projetos, realizar sonhos e concretizar objetivos. O verde claro pode e deve ser usado nos quartos, pela serenidade que transmite.

Roxo - Esta cor transmite um pouco de sabedoria e um pouco de amor, um pouco de razão e de paixão, mente e espírito. O roxo tem tudo a ver com espiritualidade, generosidade, caridade, e também sabedoria. Inspira dignidade, respeito e autoridade. Pode ser usada na sala de estar da família, por exemplo, propiciando um clima mais íntimo e aconchegante.

Vermelho - Essa é uma cor cheia de vitalidade e com uma energia muito forte. É uma cor poderosa, que eleva a auto-estima das pessoas. Por outro lado, sugere proteção divina e psíquica.

Rosa - É a cor do romance, do amor, da pureza, das boas intenções. Em casa, pode ser usada nos quartos, especialmente de crianças pequenas.

Preto - É uma cor associada à sabedoria e à intelectualidade. Transmite sobriedade, mas não deve ser usada em excesso porque pode atrair pessimismo.

Branco - Associado à limpeza, purificação, no entanto, ambientes predominantemente brancos podem causar ansiedade porque o branco pode acelerar a energia vital. É ótimo usar o branco na decoração para destacar objetos coloridos como almofadas, quadros, velas, etc.

E pronto. Vimos aqui o significado das principais cores de acordo com o que dita o Feng Shui, essencialmente no que se refere à sua utilização na decoração de interiores.

Espero que este post o tenha ajudado a decidir sobre qual ou quais cores usar em determinado cômodo da sua casa, pois eu estou exatamente passando por isso, e ainda não cheguei à um consenso :)

A minha casa é predominante branca, bege, tudo muito clean. Gosto assim porque combina comigo, me transmite paz e tranquilidade, mas agora está na hora de apostar nas cores para quebrar um pouco a monotonia do branco total. Por isso estou decidindo que cor colocar em que parede da minha sala, dos quartos, já que os móveis são quase todos brancos ou off white.

Quando eu decidir tudo e terminar de decorar, mostro como ficou, tá bom?

Mil beijos para todos.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

FENG SHUI NA SUA CASA

Olá amigos, boa noite a todos.

Acredito que todos já tenham ouvido falar sobre Feng Shui, mesmo que não possuam um profundo conhecimento a respeito. 

Pois bem, neste post pretendo dar algumas dicas que, de acordo com o Feng Shui poderão ajudar a energia da sua casa a fluir melhor, de uma forma mais positiva, contribuindo para uma vida mais feliz, mais alegre, saudável, criativa e próspera.

A sua casa, como vimos no post anterior, deve refletir a sua personalidade, seu jeito, suas crenças,  e para tudo ficar perfeito, basta adaptar tudo isso ao Feng Shui, criando uma harmonia e uma energia totalmente positiva.

Para começar, é importante reter que a sua casa deve ter espaço livre para que a energia ( e você ) possam circular, ou seja, evite excesso de móveis e objetos pelo caminho, especialmente, perto de portas e janelas.

Outra dica que eu acho ótimaaaa é deixar entrar a luz do sol, quanto mais melhor. Por isso, abra as cortinas, suba as persianas e aproveite para também abrir as janelas, deixando o ar entrar, em especial quando está ventando ... hummmm, isso é tão bom para renovar as energias.

Manter a casa sempre limpa, muitoooo limpa é essencial. A sujeira atrai negatividade, por isso mantenha a sua casa limpinha, cheirosinha, em especial a cozinha e os quartos. Esses ambientes são particularmente importantes.

Livre-se de velharias, quinquilharias e tudo aquilo que já não lhe for útil, desde móveis, objetos de decoração, roupas, sapatos, etc. Certifique-se de que tudo quanto está na sua casa tem utilidade, transmite-lhe boas sensações ou lhe traz boas recordações.

Num próximo post, pretendo falar da energia das cores em relação ao Feng Shui, entre outras cositas mas, portanto, fiquem atentos.

Um super beijo na alma de todos vocês, amados leitores :)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

SUA CASA, SUA ENERGIA

Oi gente querida, tudo bem? ... Hoje vamos falar um pouco sobre decoração e sobre a importância de tudo quanto escolhemos para compor a nossa casa.

A decoração de interiores, assim como a moda, também segue tendências e é legal ser uma pessoa antenada e saber seguir a onda. Repito, saber seguir a moda.

 Isso significa que não adianta a gente usar uma roupa que não nos favorece, ou que definitivamente não é a nossa cara, só porque está na moda. E do mesmo jeito, se você é uma pessoa que tem um gosto mais clássico, certamente que uma decoração ultramoderna não é a mais indicada para si, ainda que todas as revistas sobre o assunto mostrem a mesma coisa.

Melhor do que seguir tendências, é adaptar a moda à sua maneira de ser e deixar a sua casa com a sua cara, pois cada objeto que você comprar, cada mesa, cada cadeira, cada quadro, terão uma energia, um significado, talvez, e é tão gostoso você chegar à casa e sentir que está realmente na sua casa. Coisa que não acontece quando você compra tudo que está na moda, mas não se identifica com metade.

Por isso é que eu penso e digo sempre, que um bom decorador de interiores ajuda, até porque nem todo mundo leva jeito para harmonizar cores, estilos, texturas, luzes. Muitas vezes a pessoa tem um bom ponto de partida mas acaba por se perder no caminho, originando um ambiente confuso, frio ou sem alma. Porém ... esse profissional precisa de interiorizar a vontade do cliente. Precisa de se colocar na pele do cliente, entender o que está sendo pedido, fazer uma leitura perspicaz daquilo que o cliente deseja com base na sua personalidade. Só assim a coisa funciona a 100% e o resultado deixa todo mundo feliz.

No entanto, eu ainda prefiro ser eu mesma a escolher cada móvel, cada abajur, cada porta-retrato, cada copo da minha casa. E fazer isso com pressa nenhuma.

Imagine que você quer um sofá. Ok. Tem milhares nas lojas, mas temos que pensar em muitas coisas antes de escolher um sofá. Uma delas é o preço, o custo-benefício. Temos que saber o que queremos. Algo de melhor qualidade e mais durável? Algo chiquérrimo, que as visitas vão ficar babando mas que no dia a dia você não vai usar para não estragar? Não sujar? Ou algo que sirva para o momento tendo em conta crianças pequenas em casa, por exemplo? Tudo isso precisa de ser bem avaliado.

Outras coisas têm também que ser consideradas. As medidas, o espaço disponível, as cores, os acessórios.

Não precisa de ser tudo feito de uma vez. Muitoooo pelo contrário. Comece por escolher os móveis principais, tipo sofá, sala de jantar, quarto. Deixe o papel de parede, ou a tinta, os quadros, os rococós para o final.

Depois de ter o principal, você, com toda a calma desse mundo, pode começar a escolher essas coisas menores mas que fazem toda a diferença. Aí, antes de comprar, pense em cada canto, o que ficaria melhor aqui e ali, considere sempre o espaço e a mistura de estilos que não pode ser gritante para que o ambiente não fique confuso, pesado, cafona mesmo ... nada mais triste que você gastar uma fortuna decorando a sua casa e o resultado final ficar pavoroso por pura falta de gosto, de senso, e de sensiblidade.

Sim, porque decorar requer sensiblidade. Você precisa se identificar com cada peça. Cada pequeno objeto precisa refletir a sua personalidade, sua natureza. Não só é importante você chegar à sua casa e se sentir em casa, como também é importante que seus convidados entrem na sua casa e reconheçam a sua pessoa nos pequenos ou grandes detalhes, entendeu? Por isso, é preciso ter imaginação, bom gosto, mas sobretudo muita personalidade para decorar uma casa, uma sala, um quarto, um lavabo.

A sua casa traduz quem você é. Desde a fachada. Desde a porta de entrada, falando do vaso que você coloca do lado de fora, o quadro floral ou o baguá, até o copo em que você serve uma água fresquinha.

A sua casa tem que ser um espelho de você mesmo, tem que ter a sua energia.

Lembre-se disso caso esteja decorando ou redecorando um ambiente na sua casa, e muito boa sorte.

Abaixo, deixo algumas fotos RETIRADAS DA INTERNET, com exemplos de vários tipos de decoração diferentes entre si.


Esta aqui é uma foto de uma casa bem clean, com móveis predominante brancos e apenas um ou outro acessório de cor mais forte para marcar. Adoro. No momento, é minha preferida.


 Este é uma decoração bem clássica. Podemos observar pelo estilo dos móveis, o rigor dos quadros e até dos acessórios. É uma decoração mais "pesada" digamos assim, mas que tem a sua elegância, conforme os donos da casa e seu gosto pessoal. Desde que se integrem e estejam felizes, isso é o mais importante.
 Ao contrário da primeira foto, que mostra uma decoração bem clean, em tons claros, esta é um tipo de decoração moderna onde predominam as cores. E cores fortes. Não é qualquer pessoa que pode apostar em algo assim. Precisa de gostar mesmo e de se parecer com a casa. Também é um tipo de decoração que requer cuidado redobrado porque qualquer coisa fora do eixo, deita tudo a perder. Haja ousadia, não é?
Este foto mostra um estilo provençal. É super romântico e eu particularmente acho um charme, embora não escolheria para a minha casa. É tudo muito cheio de detalhe, de rococó, e repito, eu acho lindo, mas tem que ter a cara da pessoa que vai morar na casa. No entanto, uma ou outra peça podem perfeitamente ser adaptadas em qualquer umas das decorações anteriores. Basta saber quais e como fazer isso da maneira certa.
E, por fim, temos aqui o famoso estilo retrô. Podemos reconhecer pelo formato do espelho, dos móveis, e se repararem, a foto mostra um retrô bem mesclado com um toque mais moderno, identificado, por exemplo, pela luminária de pé alto.


Espero que tenham gostado do post, pois foi feito com muito carinho.

Bem haja, meua amigos.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

VANTAGENS DA TERAPIA

Oi gente, boa noite.

Hoje resolvi trazer esse assunto aqui porque estive conversando um tempão com uma pessoa a respeito, e por ter sido um papo super interessante, com opiniões divergentes, deixou-me realmente inspirada a falar sobre isso.

Não é segredo para ninguém que muita gente considera a terapia uma coisa absolutamente desnecessária, perda de tempo e dinheiro. A verdade por trás disso é que ainda existe um certo preconceito por parte de algumas pessoas relativamente à isso, tanto é verdade, que conheço um monte de gente que faz terapia e não assume. Uma coisa é você ser uma pessoa reservada e não falar sobre sua vida íntima, e outra bem diferente é você se preocupar MUITO em esconder que faz terapia, ter vergonha disso, de ser julgado, etc e tal.

Na minha opinião, é uma grande bobagem porque a terapia não é nada de outro mundo, nem é coisa de gente doida, problemática, doente ... quem de nós não tem seus questionamentos? Quem nunca atravessou uma fase na vida em que precisou de um amparo? Quem nunca teve uma crise existencial?

Muitos podem responder que não, mas fiquem sabendo que 1 em cada 4 pessoas irá passar por algo assim em algum momento da sua vida. Não estou jogando praga, não, tá? Li isso num artigo sério, só peço desculpas por não poder citar ou colocar o link aqui agora :)

Bem, eu confesso que apenas hoje entendi a diferença entre psicólogo e psicoterapeuta. Estamos sempre a aprender, lá isso é verdade. Basta querer.

O psicólogo é aquele que se formou em psicologia mas que não necessariamente se especializa em psicologia clínica. Ele pode trabalhar em empresas, escolas, instituições, como por exemplo, no departamento de recursos humanos, etc.

O psicoterapeuta é aquele que mesmo não tendo uma graduação em psicologia, pode se tornar psicoterapeuta.

Um exemplo: uma pessoa que tem uma formação superior em Comunicação Social, pode se tornar psicoterapeuta desde que se submeta à uma formação de 3 anos nessa área. Claro está que o mesmo não é válido para alguém com uma graduação em Engenharia Química, por exemplo. Entenderam?

Conclusão: O psicoterapeuta pode ser um psicólogo, mas um psicólogo não tem que necessariamente ser um psicoterapeuta.

O que significa então fazer terapia e quais as vantagens que podem ser citadas?

Fazer terapia é uma forma de auto-conhecimento, de encontrar as causas de determinados traumas, comportamentos, dificuldades de um modo geral. Porém, existem várias linhas que podem ser seguidas, vários métodos, certo? Um deles chama-se TCC, que se traduz em Terapia Cognitiva Comportamental. Ou seja, através das ferramentas desse método o terapeuta vai ajudar o paciente a mudar determinados comportamentos que o incomodam ou atrapalham de alguma forma a sua vida.

Por exemplo, uma pessoa é aparentemente normal, mas de quando em vez tem surtos de agressividade e bate nas pessoas por causa de nada. Ou, uma pessoa sabe que tem que se levantar todas as manhãs para trabalhar mas ela não sai da cama. Nesses casos, o terapeuta vai ajudar o paciente a mudar o seu comportamento através da prática de exercícios, de tentativas sucessivas, tendo em consideração também o que está por detrás do problema apresentado.

Uma outra linha da psicoterapia é a psicanálise, que por sua vez já é algo mais profundo. Aplica-se à pacientes cujas queixas não são tão simples de serem entendidas, por assim dizer, como não conseguir controlar a raiva. A psicanálise é uma forma de terapia que investiga profundamente a vida do paciente, começando na infância, esmiuçando tudo desde o início para que se possa encontrar o X da questão, e é indicado para pessoas com questionamentos existenciais, do tipo, "quem sou eu".

Isso significa que a TCC é um método para casos mais simples e que pode obter, eventualmente, resultados mais rápidos. Por outro lado, a psicanálise requer uma boa dose de paciência, pois leva mais tempo. É um processo que visa conduzir o paciente por um processo de auto-conhecimento, onde, ao lembrar, relatar as suas experiências, falar de seus medos, frustrações, sentimentos, emoções de todo tipo, fará com que o mesmo possa se descobrir e entender a origem das suas aflições e ajudá-lo a viver melhor.

Devo salientar que não sou nenhuma expert no assunto, e que tudo isso que estou expondo aqui tem a ver com aquilo que aprendi através do meu interesse pela alma humana. Isso me fez pesquisar, procurar entender, não só para poder ajudar os outros como também para me ajudar a me entender melhor.

Quanto às vantagens da terapia, seja qual for a linha, são muitas. É um caminho maravilhoso através do qual a pessoa pode solucionar desde pequenas coisas que atrapalham a sua vida, até alcançar um verdadeiro estágio de equilíbrio e paz interior, tendo assim uma melhor qualidade de vida. Isso, claro está, desde que a pessoa esteja disposta a se ajudar, pois nenhum terapeuta faz milagres. Nenhum terapeuta resolve os problemas por nós, nem mesmo nos dizem como fazer o quê ou quando. O terapeuta nos ajuda a encontrar o nosso próprio caminho, a nossa própria força e capacidade de dar a volta por cima e assumir o controle da nossa vida.

Finalizando, eu super aconselho fazer terapia. Basta encontrar um bom profissional, e isso você pode conseguir através de indicação, por exemplo, pois há muito mais gente do que se imagina fazendo terapia e obtendo resultados maravilhosos.

Qualquer questão, qualquer coisa em que eu puder ajudar, por favor, vocês podem entrar em contacto comigo através do separador lá em cima. Terei o maior prazer em responder, como sempre, na medida do possível.

Uma ótima noite de terça-feira para todos nós.

Bem haja.



terça-feira, 16 de outubro de 2012

QUANDO VOCÊ PRECISA RENASCER DAS PRÓPRIAS CINZAS

imagem da Internet


É ... tem muita gente que, com absoluta certeza, pode dizer que já renasceu das próprias cinzas. E não pensem que se trata de uma tarefa fácil ... na verdade, é uma tarefa árdua, penosa e muitas vezes cheia de percalços capazes de nos fazer desistir.

Em que situação você poderia dizer que renasceu das cinzas? Ah, em diversas situações ... porque a gente pode morrer por dentro por tantas coisas ... a perda de um ente-querido é algo que definitivamente nos atira no fundo do poço mais fundo, escuro, lamacento e sombrio. Quem passa por isso, sabe que "voltar à vida normal" é uma questão de sobrevivência, é preciso renascer ...

Tem outras situações que nos obrigam a tal. O fim de uma união, para aquele que ainda ama ... sonhos encalhados na metade da travessia, uma grande decepção, não necessariamente amorosa, mas também de amizade ... enfim, existem tantas circunstâncias na vida que podem realmente nos magoar de tal forma, que se torna muito difícil, quase impossível, retornar a si mesmo.

Pior é quando a pessoa não sabe exatamente o que a está matando interiormente. Ela apenas vê sua vida passar, sem perceber a subtil diferença entre viver e sobreviver ... isso, eu acredito, costuma acontecer mais com aquelas pessoas que acumulam as suas dores, seus medos, sem traumas ... pessoas que adiam seu luto, sua raiva, seu grito, sua dor ... pessoas que passam a impressão de serem fortes e auto-suficientes, pessoas que tendem a estender a mão a qualquer um que precise em detrimento de si própria, pessoas que se anulam, e que anulam a própria existência para viver a experiência de outro alguém ... É. Essas pessoas são das que mais sofrem, e quando caem, são das que mais surpreendem pela fragilidade, pela sua, afinal, vulnerabilidade.

Porém, eu tenho por hábito sempre focar na solução e não no problema. Eu me eduquei e continuo a educar-me nesse sentido, pois aprendi que é a coisa certa a ser feita. E é por isso que eu digo a todos vocês que, não importa o tamanho do fardo, o peso sobre os ombros, o breu à sua volta, a insanidade que ameaça dominar a sua mente, os fantasmas ameaçadores que possam surgir nas esquinas da noite ... nada disso importa!

Muitas vezes são coisas pelas quais temos que passar. Coisas que nos farão crescer, evoluir, aprender. Coisas que nos irão fortalecer, nos preparar para a vida. Coisas que nos ensinaram a diferença entre um "não" e um "sim" na hora e no momento certos. Coisas que testaram a nossa fé, a nossa perseverança, nossa vontade de vencer ... e de viver. Não, de sobreviver, e sim, de viver.

Quando uma pessoa percebe qual a diferença entre ambos os conceitos, e ela se prontifica a fazer a sua parte, que aliás é a mais importante, já que a vontade é a força catalizadora, essa pessoa, depois de ter sido reduzida à cinzas por meio dos maiores sofrimentos, das piores dificuldades, essa pessoa pode finalmente experimentar a sensação de renascer. E ao fazê-lo, torna-se mais forte, mais poderosa, mais radiante, mais consciente e pronta para receber da vida tudo aquilo à que tem direito, e isso nada mais é do que a própria felicidade.

Enfim, hoje eu escrevo para todas aquelas pessoas que se sentem perdidas, abandonadas, esquecidas por Deus ... a essas pessoas eu aconselho que não fujam da dor. Pelo contrário, sugiro que a enfrentem. E depois disso, peço que se recusem a permanecer entre aquilo que é e o que nada significa. Renasçam como a Fenix, pois quando renascemos, tornámo-nos mais do que sobreviventes. Ganhamos a oportunidade de viver uma nova vida, e isso, meus amigos, é uma dádiva inenarrável.

Beijos muitos, com amor, carinho e votos de muita coragem, pois a Vida é muito para ser desperdiçada ou reduzida a qualquer coisa menos do que aquilo que realmente ela é.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

VAMOS FALAR DE SORTE? :)

imagem da net
Oi gente, boa noite ... ou melhor, boa madrugada, né? Já passam das duas da manhã  e eu aqui, querendo falar sobre Sorte :)

Todo mundo conhece essa palavra, essa expressão, mas nem todo mundo entende o que ela significa. Tem gente que acredita que a sorte é algo que bate ou não na nossa porta, mas não é bem assim. 

Eu diria, que a gente atrai uma boa parcela dessa tal sorte, ou do oposto dela, mediante nossoas atitudes, comportamento, pensamentos, maneira de estar na vida, concordam?

É que a pessoa que vive a lamentar-se da própria falta de sorte, queixando-se de tudo e mais alguma coisa, vocês acham que essa pessoa será assim tão facilmente agraciada pela sorte? Não, né gente? Mas não porque essa pessoa não mereça, e sim porque tudo é energia, tudo é causa e efeito, tudo é atraído para a nossa vida por nós mesmos e quando uma pessoa só se lamenta, se queixa, se diminui, se desvaloriza, se coloca para baixo, ela está afastando a sorte, as coisas boas, aquilo que gostaria de ter, da sua vida. Por outro lado, a pessoa otimista, que consegue ver o lado positivo da maioria das coisas, a que foca na solução e não no problema, a que tem uma forma de estar na vida alegre, confiante, livre e leve, essa pessoa certamente terá mais chances de atrair a boa sorte para a sua vida. Vocês entenderam? É essa a mecânica da vida, minha gente. Mas não se preocupem se estiverem achando difícil de pôr em prática porque no início é assim mesmo. Basta persistir, não desistir e manter o foco nas coisas boas. Ver a solução, onde existem problemas. Esse é o segredo.

E para ajudar nisso, eu vou citar alguns exemplos de amuletos, objetos, símbolos que muitas culturas usam para atrair a boa sorte. 

Não, eu não estou a dizer que ao fazer tudo isso, ou qualquer uma dessas coisas, a sua vida vai mudar como num passe de mágica. Até porque tudo funciona através da fé. Então, não adianta você tomar um banho de sal grosso para se sentir melhor se no fundo você acha que isso é uma grande palhaçada, entendeu? Tem que acreditar, entrar em sintonia com seu Eu interior, com as forças da natureza e se entregar mesmo. Só assim você poderá obter resultados.

Então, vamos lá:

O trevo de 4 folhas - este é um dos símbolos mais conhecidos e antigos para atrair riqueza e boa sorte. Mas atenção, o trevo de 4 folhas deve preferencialmente ser encontrado ao acaso, ou te encontrar, se preferir. Embora eu tenha comprado um vasinho com uma mudinha dessa planta (já que não havia meio de achar um, né) e penso que o que importa mesmo é o significado que a gente atribui à coisa.

Elefante - Gente, o elefante voltou com tudo. Há muito tempo que eu não via tanto elefante nas lojas de decoração, de souvenirs, etc. Grandes, pequenos, de todos os feitios, eles estão aí também como um símbolo de sorte e prosperidade. Atenção, diz-se que se deve colocar de costas para a porta de entrada, pois ele quando entra traz a fortuna e ficando de costas para a porta, não tem jeito dela ir embora :) Bem, elefante eu não tenho nenhum em casa, mas estou pensando em adquirir um que combine e fique hramonioso na minha sala.

Sol - Para mim é dos símbolos mais lindos. Representa luz, prosperidade e proteção. Eu quero muito colocar um sol, quem sabe um espelho de sol na minha casa em algum lugar. Estou à espera de encontrar a peça certa. Acho que transmite paz, alegria, vida.

Pombo - Dizem, desde há muito, que ter uma estatueta de um pombo em casa traz muita tranquilidade e paz. Que engraçado, gente. Juro que essa é antiga, mas eu só ouvi falar faz pouco tempo.

Buda - A imagem de Buda, seja o indiano ou o chinês, invoca uma paz, um amor, uma tranquilidade, sem tamanho. Adoro budas. E existem vários tipos de estátuas de budas. Tem um, que é um dos mais famosos, gorducho e sorridente, carregando uma sacola com dinheiro. Dizem que esse atrai particularmente a fortuna e deve ser colocado sobre uma base, tipo prato, com moedas ou arroz. Eu tenho, mas falta colocar esses acessórios.

Fonte de água - As fontes de água são maravilhosas. Amo, amo, amo. Elas fazem aquele barulhinho super relaxante, e a água, gente, é vida, renovação, portanto ter uma fonte em casa, principalmente perto da porta de entrada renova todas as energias do ambiente. Fora que há fontes que são verdadeiras obras de arte.

Sapo da fortuna - Mais um símbolo associado à riqueza e à boa fortuna.

Espelho na porta - Dizem que colocar um espelho do lado de fora da porta de entrada, afasta (repele) as energias ruins. Eu já tive na minha outra casa e estou procurando a peça ideal para colocar nesta.

Sal grosso - O sal grosso é usado há bastante tempo como purificador. As pessoas usam para tomar banho, para colocar dentro de um copo com água atrás da porta e/ou em potes, taças, como enfeite, algumas vezes com alguns dentes de alho e pimenta. Diz que é um preparado super eficaz contra toda a negatividade.

Bem, acho que por hoje, chega, né? 

Quem quiser saber mais sobre amuletos da sorte, essas coisas, pode perguntar mesmo por aqui que eu respondo. É que não estou mais acessando o email para contato e enquanto não altero ... 

Beijo super carinhoso e votos de muito boa sorte na sua vida, lembrando sempre que nenhum amuleto fará algum efeito se você não tiver fé naquilo que está fazendo. 

Com o Amor de sempre ...





















quarta-feira, 10 de outubro de 2012

ERROS, ERROS, ERROS ...

Ultimemamente, tenho ouvido muito as pessoas falarem sobre erros.

Erros que já cometeram. Erros que quase cometeram e erros que têm medo de cometer.

Em primeiro lugar, acho bom realçar a grande diferença entre todos esses tipos de erros. Mas antes, que fique mais uma vez bem claro, pois vez por outra, o povo esquece: Todo mundo erra, ninguém é perfeito, ninguém é inafível, nem impassíel de errar, então que tal começarmos por encarar o tal erro como algo mais natural, fruto da nossa falta de conhecimento, da nossa experiência ... sim, porque muitas vezes é assim mesmo que se passa. Nem sempre o erro é uma coisa sórdida, planeada e voltada para prejudicar alguém.

Então, vamos lá esmiuçar esse questão. Todo mundo erra. As pessoas erram quando acreditam numa outra pessoa, confiam e depois se decepcionam por ver que a tal pessoa não era nada do que parecia ser. Nossa, esse erro de juízo acontece bastante, mas porque a gente se martirizar tanto? A gente não tinha como saber, a gente confiou, deu o melhor e se a outra pessoa era uma excomungada, paciência. Vamos ver pelo lado positivo? A gente aprende? É ou não é, gente?

Outras vezes, somos nós que erramos feio com alguém ... traímos, somos desleais, mentimos, prejudicamos, agimos de fé motivamos pela inveja, pelo ciúme e até por influência alheia. Gente, isso é bemmmm mais grave, pois nós somos responsáveis pelo que fazemos e não pelo que os outros fazem.

É como se diz, cada cabeça, seu guia. Sua sentença. Então, para começar, uma boa premissa é isso mesmo. A gente se ligar naquilo que somos, que queremos ser, e agir de acordo com isso, entendem? Garanto que desse jeito será mais difícil errar, embora errar, na verdade seja parte da condição humana. A gente não nasce sabendo tudo. Mas a gente deve aprender com as experiências que pautam a nossa vida.

Tem ainda outros erros, que não podem ser chamados exatamente de erro. Vejamos. Um cara se apaixona por outra e pretende deixar a família, casar de novo e viver seu novo amor. Quem pode garantir que isso seja um erro, uma ilusão? Ninguém, né? Porque cada coisa na vida está ligada a outras mil e uma coisas e então tudo está interligado. Muitas vezes, essa pessoa que está querendo se separar, ela sofre horrorres porque acha que não vale nada, que é uma pessoa insensível, que não tem coração, mas na verdade, é ao contrário, porque se a pessoa fosse tudo isso ela não estaria minimamente preocupada.

Então, finalizando minha gente, o que é certo para alguns, pode ser totalmente errado para outros. Importante mesmo é sempre agir com boa fé, conscientemente e procurando jamais prejudicar ninguém, pelo menos não intencionalmente.

A nossa busca é o acerto. Mas as vezes, para a gente acertar precisamos passar ao lado do erro e isso não nos faz pessoas piores. Nos faz humanos ... claro está, que estou falando de erros, não de coisas do arco da velha, escabrosas e que até o &$*#" duvida.

E é isso, minha gente. Este foi o assunto que resolvi trazer para vocês hoje. Aguardem porque em breve o blog vai bombar com novidades, mas vou deixá-los curiosos e falar sobre isso numa próxima vez.

Beijo na alma de vocês, meus queridos, e não se esqueçam de amar, se amarem e amarem todo mundo à sua volta. Eis o segredo da evolução.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

ENFRENTANDO O MEDO - parte II

Bom dia meus queridos,

Como ficou combinado, aqui estou para dar continuidade ao tema de ontem: Enfrentando o medo.

Detalhe, eu já escrevi sobre o medo, noutros termos, antes. Quem quiser conferir, está aqui.

Bem, ontem terminei perguntando até que ponto o medo pode ser benéfico e quando começa a ser prejudicial. Na verdade, meus amores, o medo é necessário. Se não fosse o medo, que nos alerta para os perigos, seria bastante complicado. Então, o medo, na dose certa, é bom senso.

Ele começa a ser prejudicial e se torna uma verdadeiro inimigo quando ele toma conta da nossa vida e domina as nossas emoções. Muitas pessoas são prejudicadas até a nível profissional, quando poderiam se destacar no trabalho, nos estudos, nas apresentações, e isso só não acontece porque têm sempre medo de se expôr, medo de ser chamado de idiota, dos outros não gostarem, das críticas. Enfim, esse é o tipo de medo que faz mal e que afeta pela negativa a nossa vida.

Outros medos se transformam em pânico e aí a pessoa passa a ter crises incompreensíveis, acompanhadas de tremores, suores, sensação de morte imininente, palpitações, falta de ar, e tudo isso muitas vezes acontece sem que um motivo aparente exista. É o medo que se transformou em Síndrome do Pânico e que pode ser desencadeada por situações facilmente identificáveis ou não.

Bem, esse assunto em muito pano para manga e eu, meus amores, não sou psicóloga de formação, nem psiquiatra, portanto, não posso nem devo dar muitos palpites. Mas uma coisa eu posso dizer:

Seja qual for o seu medo, desde que não seja aquele medo natural e necessário à qualquer pessoa, saiba que é muito boa ideia buscar ajuda. Claro que varia muito de caso para caso, e existem várias formas de tratamento, desde uma simples terapia ao uso de fármacos. O importante é encontrar ajuda séria e responsável e fazer tudo para se sentir bem porque a nossa qualidade de vida não tem preço.

Talvez vocês se estejam a perguntar como eu superei o medo que descrevi no post anterior. Pois bem, eu não superei. Mas eu vou superando. Lugares escuros e ermos realmente continuam me incomodando, eu não me sinto confortável. Mas como isso não é uma coisa com a qual eu tenho que conviver, e que eu posso evitar perfeitamente, até porque na minha opinião todo mundo devia evitar mesmo, eu prefiro simplesmente evitar tais situações. Agora, a origem desse medo, sim, eu procurei investigar, pois a minha reação foi, digamos assim, irracional. Minha prima também não estava feliz por estar naquela situação, mas apesar disso ela seguiria adiante por saber que era algo que precisava de fazer: atravessar aquele trecho escuro e sombrio. Já eu, paralisei. E não houve santo que me fizesse andar. Parecia uma mula empacada hehehehehehe Como vêm, cada um reage de um jeito, de acordo com suas experiências passadas, muitas vezes tão remotas que só existem no fundo do subconsciente, mas que vêm a tona em determinadas situações e quando chamam atenção é sempre bom que se faça uma investigação.

Por medos também se entendem as fobias. Fobia de certos bichos, em especial insetos, fobia social, fobia de alturas, enfim, todas as fobias que existem estão ligadas ao medo intenso e irracional, aversão e/ou hostilidade, e normalmente são associadas ao transtorno da ansiedade, um dos que mais afeta as pessoas atualmente e também um dos mais estudados.

Então é isso, gente. Se é esse o seu caso, se desconfia que algo não está bem com você, ainda que seja algo muito subtil, você ganhará muito buscando algum tipo de ajuda o quanto antes porque realmente o medo pode atrapalhar e muito a nossa qualidade de vida. E nós não queremos isso, certo? Pelo contrário, queremos ser felizes, viver bem, respirar fundo e andar livremente pelos caminhos da vida.

Beijos meus para todos vocês.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

ENFRENTANDO O MEDO - parte I

Hoje decidi falar sobre o medo. Todo mundo sabe o que é isso, porque sentir medo é uma reação natural e comum a todos nós, inclusive aos animais. Trata-se de um sentimento de inquietação, ou, nos casos mais graves, pavor, perante perigos reais ou imaginários. Isso mesmo. Podemos sentir medos perfeitamente plausíveis, como por exemplo, medo de alta velocidade, medo de animais ferozes, medo de alturas, como também existe o medo mais ou menos irracional, como o medo do escuro, medo de sair de casa, medo de não conseguir ter êxito. Os medos, na verdade, tem todos eles a sua origem dentro de nós, quer seja por experiências passadas, quer nos lembremos ou não, por traumas vividos ou adquiridos, por sugestão, enfim ... e na sequência vou contar-vos um episódio totalmente irracional que ocorreu comigo em que fui totalmente paralisada pelo famigerado medo.

Certa vez, minha prima e eu, estávamos numa casa de praia, num lugar relativamente deserto, e decidimos caminhar uma boa distância a fim de ir encontrar algumas pessoas amigas. Não era assim tão longe e foi divertido, pois caminhamos enquanto conversávamos, encontramos com várias pessoas diante de outras casas de praia por ali, algumas delas conhecidas e com quem parávamos para cumprimentar, até chegar ao nosso destino, onde nos juntamos aos nossos amigos, tomamos vinho e assistimos todos juntos, à um pôr do sol espetacular. Posto isto, hora de voltar para casa.

O único acesso àquela parte da península era por barco, portanto não havia ninguém a quem pudéssemos ter pedido uma carona de volta para casa. Mas tudo bem. A gente voltaria do mesmo jeito. Em menos de uma hora estaríamos em casa. SE ... não tivesse escurecido.

O cair da noite começou por me deixar ansiosa. Uma coisa era percorrer aquele caminho de dia, e outra bem diferente era fazê-lo a noite. A grande maioria das casas estava vazia, logo, apagadas, e para completar era uma noite escura como o breu. Onde estava a lua? De preferência bem cheia e iluminada, perguntava eu, a mim mesma. Detalhe, minha prima estava numa boa, praticamente saltitando de volta para casa. E eu, em silêncio, não via a hora de chegar.

Até que chegou o momento de atravessarmos uma considerável distância totalmente mergulhadas na escuridão. Nenhuma casa à vista, nenhuma luz. Apenas escuridão e sombras assustadoras. Gente, não pude dar mais um passo adiante. Minhas pernas não me obedeciam, o medo tomou conta de mim. Minha prima insistia para continuarmos e no começo achou que eu estava brincando, mas era bem sério. Ela ficou passada comigo. Por sorte, tínhamos os celulares que iluminavam a nossa volta e graças a essa bendita invenção, pudemos ligar para a minha mãe que estava em casa e que foi obrigada a chamar um marinheiro, alugar um pequeno barco, para nos ir buscar ali mesmo, onde eu me recusava terminantemente a dar mais um passo. No final, acabou tudo bem.

Mas quando eu me lembro desse episódio eu percebo que o meu medo foi um medo irracional e de origem desconhecida. Não sofri nenhum trauma que envolvesse o escuro na minha vida, ou talvez sim, bem lá na infância, e mal me recorde. Talvez fosse um medo desencadeado por sugestão de histórias arrepiantes e filmes de terror onde as coisas más sempre acontecem em lugares ermos e escuros. Eu não sei explicar, só sei dizer o que senti, e foi um verdadeiro pânico. Um pavor enorme, um medo absurdo de atravessar aquele trecho que me separava da segurança da minha casa.

Uma coisa eu aprendi. Aventuras a pé em lugares desertos e ao final do dia, jamais. Especialmente sozinha ou acompanhada de uma outra pessoa indefesa e vulnerável igual a mim. Note-se que tal situação teria sido provavelmente diferente se em vez de duas moças, fôssemos um grupo de várias pessoas, de preferência com alguns amigos,  elementos do sexo masculino, fortes e valentes, que mesmo inconscientemente nos transmitem uma sensação de maior segurança. Isso, digo eu.

Então, o medo, seja racional ou não, tem consequências estranhas e perturbadoras, além de diferentes, de pessoa para pessoa. Como não deixar que o medo domine a nossa vida? Até que ponto o medo é saudável, benéfico e até útil para cada um de nós?

Vamos falar mais sobre esse assunto no próximo post.

Um beijo bem grande no vosso coração.

Paz e Luz.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

ESPERANÇA

Não tem como a D. Esperança para nos manter em pé apesar das vicissitudes, dos atropelos, das cotoveladas, dos tombos, das rasteiras, das tempestades de todo tipo que vez por outra nos assolam.

Ah minha gente, vida perfeita não existe, não é mesmo? Será que a perfeição existe? Só mesmo Jesus Cristo. Mas o importante mesmo é a gente fazer amizade com essa tal senhora, D. Esperança, porque quando a temos como companheira tudo fica mais fácil.

Pode cair o carmo e a trindade, pode desabar o mundo, podem chover canivetes, mas quem conhece a Esperança sabe que tudo é passageiro e que depois de qualquer tempestade, por mais violenta que seja, sempre vem a bonança.

Esperança é fé, e fé é esperança. Esperança também se conquista, também é uma questão de hábito.

Tem gente que se acostuma com o desanimo, que "gosta" do papel de vítima, que se habitua a sofrer ... cada um tem os seus motivos e quem sou eu para julgar quem quer que seja. As vezes a vida nos prega cada partida que só vendo, contado ninguém acredita.

Quem ainda não viu gente super alto astral de repente cair na mais profunda depressão? Bem, de repente em termos, nunca é de repente. A coisa é um processo, mas normalmente a queda é repentina. E como dói.

Seria trágico ( já imaginaram?) se não fosse a tal da Esperança. Ah ... esperança é sonho, é crença, é acreditar que tudo vai ficar bem, de algum jeito ... é conseguir ver a luz no fundo do túnel na maior escuridão e achar que o fundo do poço pode ser o melhor lugar para se estar, em dado momento da vida pois só chegando ao fundo se pode conseguir o maior impulso para cima.

Então minha gente boa, pessoas queridas, amadas, nunca deixem de ter esperança. Nunca deixem que vos convençam que não tem solução, que é caso perdido, que não há salvação, que está tudo perdido e a vida acabou. NÃO! Acreditem que o bem sempre vence, e prevalece. Que no fim, tudo dá certo. Basta a gente querer e ACREDITAR. Para isso, só precisamos de exercitar a nossa fé, conversar mais com a D. Esperança e deixar tudo, tudinho mesmo, nas mãos de Deus.

Beijos esperançosos para todos vocês, com todo amor desse mundo.

sábado, 16 de junho de 2012

DEPRESSÃO - ACEITAR É O PRIMEIRO PASSO PARA A CURA - Parte 2

Como dizia no post anterior, a tomada de consciência da própria depressão é um momento único na vida da pessoa depressiva. Provavelmente, o momento libertador pois a partir daí, aceitando que está doente, ela passará a procurar, encontrar ou simplesmente concordar em fazer um tratamento.

Que tipo de tratamento? Bem, dependendo do estágio da depressão, que pode ser leve, moderada ou grave, o doente pode conseguir um bom resultado apenas com um tratamento psicológico, fazendo terapia.

Noutros casos, porém, a terapia, ou análise, não são suficientes, e é aí que entra um outro especialista: o psiquiatra. Esse é o único que pode prescrever remédios para doenças mentais, tais como a depressão.

De salientar, que muita gente resiste a tomada desses medicamentos, e existem inclusive várias polémicas a respeito da psiquiatria e dos psiquiatras, mas independentemente disso, eu considero, e esta é apenas a minha opinião, que a depressão podendo alcançar níveis tão dolorosos, tão difíceis, é até perigoso dispensar totalmente a medicação porque essa pode, sim, controlar os sintomas. Se cura em definitivo, eu não sei. Há quem diga que depressão não tem cura, ou seja, que ela passa mas que fica sempre ali alguma coisa que na primeira oportunidade aproveita para voltar. Então,  a escolha é do paciente, tendo em conta a gravidade do seu estado.

Há quem procure também ajuda espiritual, o que honestamente eu acho muito válido. Seja numa Igreja, num Centro Espírito ou em qualquer religião, desde que seja algo em que acredite e que seja do bem, algo que defina a fé da pessoa e que portanto, a fortaleça, pode ajudar e muito a ultrapassar e superar esse momento.

Portanto, queridos leitores, se estão sofrendo com essa doença, aceitem-na como tal e busquem ajuda. Quem quer achar, sempre encontra um caminho. A Vida se encarrega do resto.

E se você conhece alguém que sofra de depressão, não desvalorize seus sentimentos, seu estado. Ao contrário, entenda, dê força, incentive a procurar a ajuda necessária porque a depressão é muito mais séria do que muita gente imagina e pode ter resultados trágicos se não for cuidada.

Fiquem na paz de Deus e recebam um beijo na alma.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...