terça-feira, 27 de setembro de 2011

MESADA PARA FILHOS ADOLESCENTES

imagem da Net




Aprender a lidar com o dinheiro é importante na formação de todos os seres-humanos já que isso implica a responsabilidade de gastar e poupar, estabelecendo prioridades, traçando metas e definindo objetivos. Portanto, a mesada serve essencialmente para isso, e para educar a criança no sentido de que é preciso muitas vezes fazer concessões, abdicar de umas coisas em benefício de outras, e entender que não se compra tudo ao mesmo tempo, que também se faz necessário economizar quando se quer algo mais valioso. 

Por outro lado, a mesada serve também como um estímulo para controlar o consumismo desenfreado, um mal dos nossos dias, em que as pessoas, e isso inclui principalmente os adultos, compram muito mais do que realmente necessitam o que definitivamente não é um bom princípio.

Qualquer pai, qualquer mãe, tendo condições, deseja poder dar aos filhos tudo do bom e do melhor, em especial quando os próprios pais cresceram no seio de uma família com algum tipo de dificuldade financeira. Isso nada tem de errado, pelo contrário, é louvável e é legítmo. Afinal, para que serve o dinheiro senão para nos proporcionar, e àqueles que amamos, entre outras coisas, pequenos prazeres? 

No entanto, mesmo nas famílias mais abastadas, é preciso estabelecer limites aceitáveis, estipular regras e incutir a responsabilidade social. Logo, não é porque se tem essa possibilidade que se vai colocar à disposição da criança muito mais dinheiro do que o necessário pois isso fará com que não aprenda a valorizar o trabalho, o esforço e o sabor da conquista.

Foi pesquisando sobre o assunto que tentei perceber até que ponto tenho agido corretamente nesse sentido para com a minha filha pré-adolescente, pois descobri que até mais ou menos aos 12/13 anos as crianças ainda não têm perfeita noção do tempo, nem a capacidade de o gerir em confronto com uma mesada. Li por aí que para as crianças mais novas o ideal é a semanada, e concordo, pois são quantias menores que elas podem gerir mais facilmente durante 7 dias com menos riscos de gastarem tudo antes de terem os "bolsos" cheios novamente.

Eu pessoalmente nunca dei nem uma coisa nem outra. Sempre fui dando o dinheiro a medida das necessidades, como o valor diário para o lanchinho na escola e todo o resto, sejam roupas, acessórios, livros ou jogos, sempre saiu do meu bolso a medida dos seus desejos, e muitas vezes, caprichos. 

Percebi então que há meses em que gasto demais e muito mais do que o valor do dinheiro em si, é saber se realmente certas coisas são realmente necessárias. Pois é, nem sempre o são. Quantas vezes a minha mocinha não implorou por um determinado item que imediatamente a seguir foi deixado de lado após o seu fácil acesso ao mesmo. Então, sendo consciente, dei-me conta de que preciso fazer alguma coisa para  ajudar a minha filha a também tornar-se consciente e a não se tornar uma consumidora irracional.

Pensei, pedi opiniões, pesquisei, e concluí que a mesada pode me ajudar nessa tarefa porque a partir do momento em que um determinado valor é atribuído a cada 30 dias, e nada mais do que isso, isso fará com que ela aprenda que o dinheiro não cai do céu, que se obtém por mérito e esforço, e que deve ser gasto naquilo que se precisa, não em tudo quanto lhe apareça pela frente.

Quanto ao valor a atribuir, isso depende do orçamento de cada um. Obviamente que uma família de classe média-alta sempre pode estipular um valor mais alto que será muitas vezes o triplo do que uma família de baixa renda, lembrando no entanto que mesmo tendo possibilidades é preciso observar os tais limites que referi. Nessa hora, vale apelar para o bom senso, fazer as contas e definir o valor de uma forma equilibrada.
Este site aqui indica alguns valores como referência que podemos adotar na íntegra ou adaptar à realidade de cada um individualmente, e de cada sociedade. Para quem dispõe de pouco tempo, deixo a base de cálculos apresentada no mesmo e já convertida em várias moedas, aproximadamente:

Angola - Kwanzas - 6.000,00
Brasil -   Reais        - 96,00
União Europeia - Euros - 88,00
USA - USD - 60,00 

Friso que esses valores são uma base de referência apresentados no site indicado e que, a sua aplicação ou não, depende da realidade de cada um, podendo ser menos ou mais.

Espero sair-me bem nesta tarefa, afinal, quem disse que educar filhos é fácil? Educar também é saber dizer não na hora certa. 

E para finalizar quero dizer que muitas famílias não têm condições de usar essa ferramenta chamada mesada para ensinar as crianças a ganhar responsabilidade e a lidar com o dinheiro, até porque muitas vezes são famílias numerosas com mais do que dois, três filhos. Nesses casos, não se devem preocupar pois certamente que existem outras formas de alcançar o mesmo objetivo, o que é verdadeiramente o que importa.

Espero, com este post de hoje, ter ajudado pais e mães na mesma situação que eu a decidirem o que fazer doravante, tendo em vista sempre e em primeiro lugar, a formação da criança como um indivíduo inserido na sociedade.

Fiquem em Paz. Muita Luz para todos e uma chuva de bençãos.

Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Eui tenho poucos talentos na vida e um deles é o de lidar com dinheiro. Tudo rende, todas essas fórmulas que analistas financeiros passam eu já sigo todas, é algo que veio comigo. Então quando chega a faltar dinheiro mesmo na minha vida, ou foi porque tive que ter um gasto obrigatório e grande, inesperado. Ou porque ele deixou de entrar... rs.

Beijocas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...