quinta-feira, 21 de abril de 2011

RELÓGIOS E BOLSAS

Oi, amigos e amigas queridos dessa blogosfera maravilhosa que eu amo de paixão :) Tudo bem com vocês hoje? Preparados para o feriadão, em especial os brasileiros que já começam amanhã a desfrutar de um belo tempo extra, sem trabalho, obrigações e stress. Espero que aproveitem para relaxar de algum jeito, mesmo deixando-se ficar em casa por 4 dias de pijama, só a ler, sem pressa, no sofá, na varanda, na cama ... pegar no sono ... levantar para comer, ver um filme, enfim ... quando estamos de bem connosco mesmos, o lugar e as circunstâncias pouco importam.

Hummm ... pelo título do meu post hoje aposto que estão a pensar que a minha palavra hoje é sobre aquelas coisinhas fúteis, supérfluas, etc, que preenchem o dia a dia de tantas pessoas. E não deixa de ser verdade, mas não se trata de uma crítica, pelo contrário.

Querem saber o que acho? Que tudo tem um limite, um tamanho, uma medida certa. E que não tem absolutamente mal nenhum qualquer um de nós ceder a essas inúmeras tentações disponíveis desde que o façamos conscientemente, e que isso nos traga felicidade.

Afinal, não é a felicidade um conjunto de momentos alegres, que trazem satisfação, etc? Pois então, se você, meu querido leitor, hoje acordou como eu, com vontade de comprar, saiba que isso não é nenhum crime, nem mesmo errado. Afinal, penso, EU TENHO O DIREITO. E você também :)

Se tenho um emprego, aliás, dois (graças a DEUS), se me esforço, me empenho, dou o meu melhor, então eu mereço oferecer alguns mimos a mim mesma. Mesmo que esses "mimos" custem os olhos da cara.

Obviamente que não sou louca nem irresponsável para gastar mais do que posso, tenho muitas outras responsabilidades, mas isso não me impede de que, de quando em vez, cometa algumas extravagâncias. Faz parte da vida também, não acham?

E porque não? É o MEU dinheiro, que ganhei com o meu trabalho, então porquê sentir-me culpada? Ah, e nem adianta depois pensar, "Nossa, gastei muito, devia ter me segurado". O que já foi, já foi. Agora usufrua e seja feliz. Agora! Só isso.

Aposto que querem saber o que eu comprei, afinal de contas, não é? hehehehe Eu vou contar, não vou ser má e deixar de satisfazer a vossa curiosidade, até porque estou tão satisfeita e absolutamente sem culpa que nada me reprime nessa hora.

Vamos lá. Primeiro foi esse relógio da foto aqui em baixo. Eu já estava de "olho comprido", como diz a minha avó, desde que o vi a primeira vez. Não é lindo? :)



Ah, eu achei um Tudo! É um Michael Kors e sim, não foi nada barato. Ele tinha em duas outras versões menores, mas eu gostei do grandão mesmo e a diferença de preço nem era assim tão grande. Sendo assim, ele é meu, muito meu, e já o usei o dia inteiro hoje. Eu sou assim mesmo. Nada de guardar para usar em ocasiões especiais, a menos, claro, que seja algo que a isso obrigue.

Caso se interessem, a referência dele é MK- 8096, tá? Ou, se assim o desejarem, podem visitar o site oficial da marca que é o http://www.michaelkors.com/

Gosto muito de relógios. Tenho vários. Muitos que ganhei de presente, e muitos que eu mesma comprei. Esse aí é a minha mais recente aquisição.

E depois ... foi essa bolsa maravilhosa, lançamento da Louis Vuitton para o verão 2012 (europeu).



Eu também sou apaixonada por bolsas, e as da Louis Vuitton nem são as minhas preferidas. Se formos falar em marcas caras, eu diria que as da Prada até são mais bonitas, mas confesso que em cada coleção da Louis Vuitton há sempre uma que me seduz. Essa me seduziu, ou eu deixei-me seduzir, não sei hehehehe. Mas amei, ela é linda, clássica e versátil ao mesmo tempo, espaçosa e de uma qualidade incontestável. Vou poder usar em diversas ocasiões.

Claro que saí da loja com ela no ombro rsrs, super feliz da vida. Caso queira, deixo também o site oficial da marca para que possa dar uma olhada :) http://www.louisvuitton.com/

É normal que uma pessoa pense, "poxa, é muito dinheiro por uma bolsa e um relógio" mas eu não alimento esse tipo de pensamento. Foi caro? Foi. Mas eu podia pagar e resolvi me dar a esse luxo, afinal, não é uma coisa que faça todos os dias, então, porque não?

Além do mais, eu acredito que o semelhante atrai o semelhante, então se uma pessoa estiver sempre a pensar que não pode comprar isso porque custa muito caro, ela nunca vai poder comprar mesmo. Pensamentos de miséria e escassez atraem isso mesmo, e vice-versa.

Comigo, posso afirmar, resulta pensar e agir desta forma. Faço as contenções que acho que devo fazer, não compro tudo que me apetece, mas quando estou a fim e gosto realmente de alguma coisa, não há nada que me impeça.

Tenho a certeza que DEUS, o Universo, a Fonte, sempre me retribui em dobro. E é assim que todos deviam pensar, sem muito apego ao dinheiro porque dinheiro é apenas dinheiro e se não servir para nos proporcionar alegrias e prazeres, então para quê que a gente trabalha tanto?

E assim ficam a conhecer um pouco mais de mim, esse meu lado meio consumista, mas equilibrado sempre.

Fiquem com Deus, tenham um ótimo feriado e aproveito para desejar a todos uma linda e abençoada sexta-feira santa, e uma páscoa muito feliz, com muitos ovos de chocolate :)

Beijo meu, na sua alma.

6 comentários:

Rydi disse...

Amiga, amei o relógio e a bolsa, são lindos mesmo, ainda não posso me dar o luxo,mas quem sabe um dia :)

Rosalino disse...

Faz bem ao nosso ego agraciarmos-nos com miminhos.
Claro que gsotamos de receber esses mesmos miminhos dos outros.
Mas ninguem sabe melhor do que nós que tipo de agrados gostamos.
Fazes muito bem em poder dar agrados desses á tua própria pessoa.

Os orçamentos são subjectivos. Cada um deve agradar-se a si, com o que lhe é possivel :)

Já agora: mitos miminhos e agrados nesta Pascoa da Ressurreição.

Rosalino

Angel disse...

Ridy, minha amiga, bigada. E vais sim poder te dar a esses luxos e muitos mais, basta persistir na crença de que tudo nos é possível.
Beijos.

Angel disse...

Olá Rosalino. Sim, receber um agrado é muito bom. Quem não gosta de receber um presente, por mais simples que seja, de alguém que a gente gosta? É muito bom mesmo, e o que conta mesmo é o gesto e a intenção, não o valor das coisas em si.
Agora, ter um trabalho e saber que com o esforço do mesmo também nos podemos presentear e até quem sabe, cometer uma ou outra extravagância de quando em vez, também sabe muito bem :)
Um páscoa abençoada para ti também.
Beijinhos.

LILIANE disse...

Angel...
você tocou em um ponto interessante.
a culpa.

estou aprendendo a "gastar" sem esta culpa.
isso faz mal...

estou aprendendo que se eu trabalho (mesmo que eu não receba em dinheiro), mas se eu contribuo com o universo cuidando da minha casa, dos meus filhos, tenho alguns direitos também.

esse pensamento tem me trazido paz.

ah, esse relogio e essa bolsa são LINDOS.
rs

juro, ainda vou poder usar umas coisinhas bem lindas, rs
beijos.

Angel disse...

Isso mesmo a culpa é um tormento desnecessário, especialmente em relação a certas coisas do dia-a-dia. Se fosse o caso de uma doença como compulsão para comprar, gastar até o que não tem, sim, seria preocupante. Mas sentir culpa por nos permitirmos algumas extravagâncias muito merecidas, isso nem pensar, minha amiga.
E sim, você vai poder usar tudo que desejar. Aliás, já pode, só tem que programar a sua mente dessa forma e deitar no lixo o padrão negativo de pensamentos que as vezes nos impede de alcançar certas metas na vida.
Um beijo, amiga.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...