segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

O ÓDIO


Hoje não elaborei nenhum tema específico para postar aqui no Blog, mas decidi dividir com todos vocês uma coisa que aconteceu, e mexeu muito comigo.

Só para vocês entenderem irei um pouco atrás no tempo, mas sem detalhes minuciosos.

Tenho um amigo, que nunca foi aquele amigo íntimo de frequentar a minha casa, de nos telefonarmos com frequência, mas apesar disso sempre foi alguém com quem sempre simpatizei e com quem sempre me dei bem. Só nos encontrávamos casualmente, e era sempre aquela festa, aquela satisfação, tudo na maior paz.

Entretanto, a partir de determinada altura entrou uma terceira pessoa que ficou entre nós e desde então a nossa relação nunca mais foi a mesma. Surgiram vários problemas provocados por mal entendidos e maledicência de várias pessoas que gostam de ver o circo pegar fogo. Devo salientar que a terceira pessoa é alguém de quem aprendi a gostar muito e por quem nutro uma profunda amizade, já há um ano.

Não posso nem vou entrar em mais detalhes porque algumas pessoas que me conhecem pessoalmente podem vir a ler esta postagem e eu prefiro preservar nomes e mais detalhes que poderiam ser reveladores.

A única coisa que posso dizer é que esse tal amigo, de quem sempre gostei e contra quem nunca tive rigorosamente nada, começou a pouco e pouco a tornar-se agressivo, para não dizer violento comigo. Ao ponto de chegarmos a nos desentender seriamente. Ao ponto de eu querer partir para cima dele, o que aliás, é uma reacção bastante difícil em mim. Sou da paz. Exercito muito a tolerância, mas não sou perfeita e feliz ou infelizmente, também perco as estribeiras como qualquer ser-humano que chega ao seu limite.

Apesar disso, depois de um longo período de turbulências, eu o procurei para dizer que o perdoava e que continuava a desejar-lhe muito bem, e que passado era passado. Tive essa necessidade, se é que me podem entender.

Pois bem, passaram-se alguns meses e as coisas nunca mais foram as mesmas. Cada um no seu canto, e dessa experiência eu aprendi que devo me controlar mais e que é meu dever ser paciente e tolerante mesmo com quem me agride. Quem sabe se eu tivesse feito isso, as coisas não teriam chegado tão longe?!

Mas a vida segue o seu curso e depois de todo esse tempo sem contacto praticamente nenhum, surge uma determinada situação que faz com que ele me telefone, novamente com acusações e palavras duras. Foi aí que ele me disse essa frase, que ainda ecoa dentro da minha cabeça: "Eu estou-te a odiar".

Só que de lá para cá, eu mudei. A minha reacção foi totalmente diferente da que provavelmente ele esperava. Falei com ele com toda a calma deste mundo, pedi que se acalmasse, perguntei o que estava a acontecer, o porquê da sua atitude. Permaneci serena, tranquila e decidi que não ia mais ser a tomada onde ele iria ligar a sua ficha de ódio despropositado, alucinado, desvairado. Ainda lhe disse o seguinte: "Tu não me odeias, tu sabes que não sentes isso e eu também sei porque não acredito que sejas essa pessoa. E se me odiasses de verdade, então esse seria um sentimento que seria só teu porque eu não te odeio a ti, nem a ninguém nessa vida".

Isso aconteceu e eu me mantive emocionalmente equilibrada, mas agora que passou, quando me lembro, não deixo de sentir uma tristeza enorme, afinal, ele é uma pessoa que fora os acessos repentinos de fúria, nunca me fez nenhum mal, durante anos. Nem eu a ele. Sempre nos demos bem, sempre nutri um carinho sincero por ele mesmo não tendo com ele uma ligação muito estreita. E pergunto-me, como pode alguém assim, dizer que me odeia, e ainda por cima gratuitamente.

É louco? Tem problemas psicológicos? Está desorientado? Está a ser influenciado contra mim? De onde nasceu esse ódio todo de repente? É que mesmo tendo em conta os motivos que não posso divulgar e que deram origem aos problemas dele comigo, pois eu nunca tive nenhum problema com ele, mesmo assim não seria o suficiente para proferir essa frase " Eu odeio-te".

Volta e meia penso nisso e não cesso de pedir a Deus que ilumine a sua cabeça, seu coração, para que ele possa ver as coisas como elas são de verdade e parar de achar que eu sou a causa dos seus problemas, pois definitivamente, não sou.

Gostaria muito que ele se desse conta disso, e em nome de Jesus esse dia vai chegar.

Eu já o perdoei. Aliás, não tenho o que perdoar porque considero que ele só pode estar fora de si. Daí o seu comportamento estranho e confuso.

Meu Deus, acontece que nunca ninguém me disse uma coisa dessas. Custei para assimilar, sabem? Estou habituada a quem as pessoas digam que me amam, tenho uma relação amistosa, para dizer o mínimo, com a maioria esmagadora das pessoas e mesmo aquelas pessoas que eu sei, intuitivamente que não são são o que parecem, até essas eu trato bem porque acredito que só o Amor pode mudar tudo, produzir milagres na vida das pessoas. Ou seja, dou sempre a chance de qualquer um me conhecer e descobrir quem sou de verdade.

Talvez por isso, esteja a doer lá no fundo do meu coração ter ouvido palavras tão feias quanto essas. Mas eu confio em Deus e sei que Ele tratará de fazer justiça e de pôr cada coisa no seu devido lugar.

Já agora, aproveito para dizer que o ódio é um sentimento destrutivo e que faz pior, muito pior a quem o sente. Principalmente quando a pessoa odiada não está na mesma faixa vibracional daquele que odeia, ou seja, está sintonizado com o Amor.

Quem sente ódio é infeliz, pode adoecer, e atrai para si mesmo coisas muito más porque é auxiliado por energias negativas que se comprazem desse tipo de vibração negativa.

Eu não odeio ninguém, nunca odiei. Sou Amor, só tenho amor para dar. Quem me odeia, sente isso gratuitamente, o que é pior ainda, mas assim assim eu estou e estarei sempre de braços abertos, como agora, para receber essa pessoa de volta na minha vida com um grande abraço quando, um dia, se Deus permitir, ele se der conta da injustiça que cometeu contra mim e se arrepender.

Que assim seja, meu Pai do Céu.

As vezes tenho vontade de lhe telefonar só para saber se está melhor, se está mais calmo. Mas entretanto acho melhor deixar quieto por enquanto, deixar a poeira assentar. Deus sabe a hora certa para tudo nessa vida e eu confio Nele mais do que em qualquer coisa neste mundo.

Este foi um desabafo, pois precisava mesmo de pôr para fora.

Beijo da Angel para vocês.

3 comentários:

Rydi disse...

Sim,mudei :), eu andava muito ocupada e focada em alguns objetivos que já foram alcançados. Eu já não queria escrever sobre certos pensamentos e graças à Deus minhas angústias se foram, hoje alcancei várias vitórias.
Mas que coisa essa pessoa Angel, na minha opinião, vc deveria evitar essa amizade, não é saudável, não adianta insistir com alguém que te odeia. Já pensou na possibilidade dessa terceira pessoa ter influenciado esse seu amigo, por inveja à vc. Sempre tem alguém na sua vida que não quer ti ver bem, se eu fosse vc, começava à evitar todas as pessoas que te prejudicam.Vc pensa que não mas são elas que estão te destruindo aos poucos.E vc pode ter certeza que não te fará falta nenhuma.

Angel disse...

É, você tem razão minha amiga. Eu tenho evitado essa pessoa desde então, só que agora surgiu mais essa situação depois de uns meses de calmaria. Não sei mais o que fazer, não queria que ficasse desse jeito ... mas talvez você tenha razão, eu devo ficar no meu canto que Deus cuidará de tudo :)
Obrigada amiga, pelo apoio.
Beijo, beijo.

Nadeem disse...

nice your site thanks for sharing love you all teme good work keep it up.
Hack Wifi Password

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...