terça-feira, 2 de agosto de 2011

SOBRE A INVEJA

Bem minha gente, saindo um pouco da linha editorial dos últimos posts deste blog que têm sido sobre a minha viagem, tem-me andado a vir muitas vezes à cabeça o tema "inveja" e agora decidi pôr isso para fora. Na verdade, tenho a incómoda sensação de estar a ser alvo desse sentimento torpe e é sempre desgastante lidar com ele, em especial quando o mesmo parte de pessoas próximas. Tudo bem, a maioria pode não ser amiga no verdadeiro sentido da palavra, mas são pessoas que conheço, para quem sorrio, com quem me exalto ao encontrar e a quem desejo bem. Partindo desse princípio, não poderia sentir qualquer coisa que não fosse amor, carinho, bem querer por essas pessoas. Mas aí percebo que a recíproca não é verdadeira, e pergunto-me porquê?

Será que tem explicação? Lembro de ter lido em algum lugar, faz tempo, que a inveja é um sentimento natural no Ser Humano. Eu não posso concordar. Pode ser normal em muitos de nós, mas normal não é o mesmo que natural. Natural é algo que é da nossa natureza essencial, e essa provém de Deus. Nada que tenha origem Divina pode ser outra coisa senão o Amor. Por outro lado, normal é aquilo que a gente se habitua, se adapta e aceita como parte de si, dos outros ou do mundo. Mas nem tudo o que é normal para uns, o é para outros, certo? Então, para mim a inveja não é natural do Ser Humano, mas é muito comum entre a nossa espécie. E isso entristece-me, porque ela é a causa de todo o mal.

O pior é que nem sempre os invejosos são nossos inimigos, porque desses, quando os temos, sabemos o que esperar. E quando o invejoso é um amigo? Um colega de trabalho? Um familiar? Aí, é terrível minha gente, sentir que alguém que gostamos nos inveja de alguma forma.

Dizem que existe a inveja boa. Bem, isso não é inveja. Do tipo, eu saber que a amiga arranjou um emprego maravilhoso a ganhar 3 vezes mais que eu, e claro, eu gostaria da mesma oportunidade, mas não significa que sinta inveja. Pelo contrário, fico feliz por ela e desejo todo o sucesso possível. 

Só existe um tipo de inveja. Aquela que se manifesta através do ódio, raiva, desconforto, perante a felicidade alheia. E isso existe desde a época medieval, desde que o mundo é mundo, e tem sido a causa desde pequenos conflitos entre pessoas a grandes conflitos entre grupos, entre povos e culturas, porque o invejoso sempre quer possuir o que é do outro, é despeitado e de mal com a vida. Normalmente o invejoso é também extremamente infeliz porque um sentimento nocivo como esse faz mal a qualquer um.

Seria tão simples se essas pessoas entendessem que o semelhante atrai o semelhante, que ficando alegres com a alegria dos outros atraímos a mesma felicidade para nós, e que ao contrário, ao sentir inveja, raiva, frustração, etc, pelas conquistas de alguém, essa onda negativa cresce tanto a ponto de dominar a alma humana e condenar a própria vida ao fracasso. Custa entender isso? Infelizmente para muita gente custa. Essas pessoas não querem se dar ao trabalho de tentar compreender as Leis da Vida e preferem viver amarradas a crenças e hábitos antigos, cultivando o pior que há em si, em vez do melhor.

Há quem me pergunte se a inveja pode nos afetar negativamente. A resposta é sim, meus caros. E citando Fausto Oliveira, um famoso parapsicólogo brasileiro que tive a oportunidade de conhecer, "você pode até fazer uma tremenda macumba pra alguém com a cabeça deitada no seu travesseiro". Sabem o que isso quer dizer? Que tudo é energia, inclusive a inveja. Ao sentir inveja de alguém, desenvolve-se uma energia negativa que vai em direção à pessoa invejada e se esta não estiver preparada, pode vir a ser afetada por essa faceta do mal. 

Mas como nos podemos precaver da inveja, ou qualquer outra energia negativa? Orando e vigiando. Sendo do Bem. Praticando o Amor por Amor. Perdoando. Cultivando sentimentos nobres. Policiando os pensamentos, ações e palavras. Desta forma, não há inveja que nos afete, nem mal que nos chegue.

É preciso ter a capacidade de entender que o invejoso é alguém que talvez não tenha controle sobre esse ímpeto, pois nem sempre quem nos inveja é alguém que tem menos dinheiro, ou que seja menos bonito, etc. Simplesmente, existem pessoas que inconscientemente gostariam de ter acesso exclusivo a certas coisas, ou pessoas que não suportam a felicidade dos outros, mesmo que também tenham condições de desfrutar dessa mesma felicidade.

Complexo, não é? Porém eu penso que devemos sempre ser quem somos e aprendermos a reconhecer a índole de quem nos rodeia. Certas pessoas não podem participar da nossa intimidade, nem saber dos nossos planos. Certas pessoas não devem sequer tomar conhecimento das nossas conquistas, tudo isso para evitar o despertar da inveja. E além disso, como já citei antes, orar e vigiar. Se Deus é por nós, quem será contra? :)

Beijos meus com todo amor de sempre.

3 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Concordo plenamente que a inveja pode "matar"...
Bjm de paz

Dama de Cinzas disse...

Eu não ligo muito para olho grande, inveja e essas coisas, apesar de saber e conviver com gente bem invejosa. De alguma forma esse não é o defeito que mais me incomoda numa pessoa, acho que sou capaz de passar por cima. Porque sempre vejo o invejoso como uma pessoa meio infeliz, que não tá dando muito certo na vida e anseia o que os outros tem. Se a gente parar para pensar, em algum momento da nossa vida estivemos nessa posição, nem que por alguns minutos.

Beijocas

Rydi disse...

Oi amiga, vim aqui cedinho, postei e deu erro :/, lá se vai meu post. O que eu queria dizer é seu texto fala tudo que penso, tudo, a última parte então é o resumo e minhas conclusões também, por isso que evito me expor no blog, as vezes escrevo sobre alguma coisa legal que fiz, mas não gosto muito de falar sobre esses assuntos, quando chego a falar sobre algo é prrque ali não vejo motivo para temer esse sentimento do inferno e mesmo assim só escrevo ou falo pra alguém o básico de tudo, nada muito profundo, sou uma vítima também, mas prefiro não falar pois as pessoas costumam te interpretar mal e eu já estou cansada disso, como divulguei meu blog pra minha rede de contatos, sempre tem aqueles indesejados que te descobrem, precisei deletar uma pessoa dessa da minha rede mas ela visita meu blog, por isso, silêncio.

E suas férias já acabaram? puxa nem veio aqui :(,
tá bom eu entendo XD

bjsss

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...