sábado, 12 de fevereiro de 2011

VOCÊ SABE O QUE É CONSCIÊNCIA COLETIVA?


Teoricamente, todo mundo sabe o que é consciência. Conhecimento, convicção, e também o estarmos cientes de quem somos, do que fazemos e das nossas escolhas. A consciência é difícil de definir por palavras, mas é ela que faz de nós quem somos, é ela que nos guia, que nos enobrece ou nos culpa. A isto chama-se consciência individual.

O que talvez muitos não saibam é que existe uma coisa chamada de consciência de grupo, ou coletiva, e essa é infinitamente mais poderosa pois envolve a união de muitas consciências individuais juntas formando uma imensurável onda energética com poderes tanto para o bem quanto para o mal.

Uma vez que tudo é energia, inclusive os pensamentos, sentimentos e emoções, fica fácil entender a carga energética de milhares de mentes sintonizadas numa mesma frequência. E a partir daqui podem-se explicar inúmeros fatos históricos ocorridos no planeta desde o princípio dos tempos, como as guerras, e por outro lado também, os avanços da ciência, etc. Porquê? É simples. Quando dez milhões de mentes vibram juntas, acreditando e fazendo valer a sua consciência individual na forma coletiva, acontece o que aconteceu na Alemanha, por exemplo, onde Hitler foi o líder de um movimento contra os judeus originando todos os horrores que todos tão bem conhecemos. O que nos esquecemos de lembrar é que Hitler não teria liderado nada nem ninguém, nem tão pouco cometido 1/3 das atrocidades que cometeu, se não tivesse tido o apoio de milhares de pessoas que pensavam como ele e que acreditavam nas mesmas ideias que ele, por mais conveniente que seja deitar todas as culpas para cima dele. Percebem isso? Ele não teria sido quem foi se não tivesse tido a colaboração voluntária de todo um grupo de pessoas. Não é a toa que se diz que a união faz a força, só que em casos lamentáveis como esse, a força foi proveniente de uma consciência coletiva extremamente negativa e equivocada, mesmo que eles acreditassem que estavam certos. E acreditavam, caso contrário não teríamos essa triste passagem na história da humanidade.

Tudo isto para dizer, que mesmo numa escala mais pequena, devemos ter muito cuidado para que a consciência do grupo a que pertencemos não contamine a nossa consciência individual. Porque acreditem, ela pode contaminar. Por mais que você tenha as suas próprias ideias, ao conviver e ser parte integrante de um determinado grupo com uma forte consciência coletiva negativa, tarde ou cedo de alguma forma isso provavelmente vai acabar por lhe influenciar, transformando aos poucos a sua maneira de pensar e de ver as coisas. Se a coisa pende para uma mudança positiva, maravilha. Ainda bem. É exatamente isso o que se pretende. Mas quando não, há que vigiar para poder sair antes que seja tarde demais. E sair é a decisão mais acertada que podemos tomar quando a consciência coletiva do grupo a que pertencemos não reflete a nossa, em especial quando nos sentimos incapazes de a alterar. Nesse caso, a prudência obriga a que nos retiremos ou então iremos aonde essa consciência coletiva for, transformando irremediavelmente algo dentro de nós.

O ideal mesmo, eu acredito, é encontrarmos uma consciência de grupo que condiga com a nossa, e quando não, que tal ser a fonte de uma nova? O semelhante atrai o semelhante, portanto, outros com a mesma consciência serão assim por nós atraídos. É disso que o mundo em que vivemos precisa e toda a espécie humana. Que pequenos grupos com a mesma consciência coletiva de Amor influenciem e atraiam cada vez mais membros, por assim dizer, até que se tornem tão grandes e poderosos ao ponto de um dia o mundo em que vivemos refletir isso como realidade, ao invés do que acontece agora. Pois, o mundo em que vivemos hoje é apenas o resultado da consciência total de todos nós, onde imperam valores de separação de classes o que evidentemente gera indiferença, preconceitos, ausência de compaixão e o sentimento de falsa superioridade com relação a outros povos, culturas e costumes. Tudo isso é o resultado da consciência coletiva que predomina no mundo tal como o conhecemos desde sempre.

Não está na hora de mudar? Então porquê esperar que outros comecem? Porque não partir de cada um de nós a determinação de ser um dos muitos pontos de partida dessa mudança? Eu creio que nada muda se a gente não muda, e creio também que se cada um fizer a sua parte podemos sim fazer a diferença e ser a consciência coletiva dominante.

O problema é o quanto as pessoas se acomodam e aceitam os maiores absurdos como sendo natural. Pois, não é! Vamos debruçar-nos sobre isso, deixar que essa ideia assente na nossa consciência individual e simplesmente viver de acordo com ela.

Ainda há muito mais a ser dito sobre este assunto, mas por hoje já me alonguei demais. Outro dia, retomo o tema, combinado?

Paz e luz para todos.

P.S. Imagem retirada do google.

9 comentários:

Rydi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rydi disse...

Sim amiga, geralmente surgi um líder com idéias loucas e influência as outras pessoas como Hittler fez, até hoje não entendo a mente humana. Será que se eu disser que quero matar mulçumanos em nome de Deus vou ganhar seguidores? A resposta? Sim, já que o mundo está saturado das consequências dessa religião, mas não é bem por ai que se resolve as coisas :/

Angel disse...

Oi Ridy, irá ganhar seguidores sim porque muita gente tem essa mentalidade e preconceito contra os muçulmanos. O ser humano nessas condições é como um barril de pólvora pronto a explodir, basta que se crie a oportunidade.
O problema não é a religião deles, o islamismo. Essa é como tantas outras e na sua essência prega o amor e valores morais. O problema são os extremistas que também eles são vítimas de uma determinada consciência coletiva, entende?
Em vez de separarmos as pessoas por religião e por um monte de outras coisas, devíamos nos unir todos como seres humanos pois isso é tudo que importa.
Beijos, minha amiga.
Angel.

Rosalino disse...

Consciência ou a falta dela?
Colectiva ou não.
Nós próprios no nosso dia a a dia somos acometidos de sentimentos tão dispares que na nossa consciência se confundem.
O ser humano tem uma acentuada tendência para cada vez mais, deixar a consciência de lado.
Principalmente quando envolve questões financeiras.
Aí é que se revelam muitas das consciências.
Coletivas ou não.
As consciências cada vez ficam mais pesadas e desprezadas.
Embora já ninguém seja a nível individual ou colectivo faça um "luto" pelas atitudes tomadas sem terem em valor a consciência em si.

Muito profundo este teu texto.
E de facto é um tema que não se esgota num simples poste.
Adorei

Rosalino

Angel disse...

Obrigada Rosalino.
Voltarei a escrever sobre o assunto.
Paz e Amor.
Angel.

Luma Rosa disse...

Muito bom, Angel!!
Acho que além de várias pessoas desenvolvendo o mesmo pensar, precisamos analisar o porque uma célula de pensamento chega a pensar tal assunto. O ponto de partida do consciente coletivo é a consciência de cada um.
O pensamento é um "Direito Vivo", é fenômeno psíquico e inerente a natureza humana e a consciência coletiva se consolida através das consciências individuais. O sentimento humano, nem sempre de justiça baseia-se no direito de pensar, na moral que se estabeleceu com as suas vivências e na equidade. A informação científica, a que forma ao final é, portanto, essencial para determinação do conteúdo de uma coletividade e infelizmente, nem sempre o direcionamento é bom e o ser humano tem uma vocação imensa para o mal.

*O selinho da campanha contra o blogueiro parasita tem sim esse erro mal pensado de não abranger toda a blogosfera. Pensando em reeditar... rs.

Boa semana! Beijus,

Angel disse...

Oi Luma querida, você tem toda a razão. Esse tema é de uma complexidade enorme,e se formos a esmiuçar a origem das formas dos nossos pensamentos enquanto seres humanos e meros indíviduos, ainda será difícil alcançar um ponto a partir do qual possamos partir e concluir acertadamente alguma coisa.
Valeu querida.
Beijo meu.
Angel.

Anônimo disse...

Brilhante...já sabia que escrevias,mas não com tanta dedicação!Senti-me uma criança ao lado da tua imensidão! :)Parabéns!
Beijocas.
M.

Débora disse...

Obrigada M.
Um grande beijo e um forte abraço.
Débora (Angel)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...